Região

A fronteira como destino turístico

Escrito por Jornal O Interior

Trancoso acolheu fórum do CEC sobre as oportunidades do turismo fronteiriço na raia luso-espanhola

O projeto “Destino Fronteira”, vocacionado para o desenvolvimento do turismo fronteiriço, foi apresentado em Trancoso na sexta-feira durante um fórum promovido pelo CEC/CCIC – Conselho Empresarial do Centro/ Câmara de Comércio e Indústria do Centro. A sessão foi organizada em colaboração com a Câmara de Trancoso e a AENEBEIRA – Associação Empresarial do Nordeste da Beira.
Trata-se de um projeto plurirregional, a executar ao longo da fronteira luso-espanhola, com o objetivo de implementar uma estratégia de desenvolvimento turístico da zona raiana como «destino único, integrado, estruturado e baseado em recursos endógenos». São consideradas oportunidades o turismo enológico, de natureza, de história e património e ligado à água (rios, termas, etc.). Na sessão de abertura, José Maria Costa, presidente da Rede Ibérica de Entidades Transfronteiriças de Cooperação (RIET) e autarca de Viana do Castelo, sublinhou que o turismo de fronteira tem uma «relevante importância» numa região que se extende ao longo de 900 quilómetros e possui «património edificado, como os castelos, e áreas ambientais de excelência».
Na sua opinião, desenvolver o turismo de fronteira é «contribuir para a valorização do interior através da reabilitação e recuperação de muitas casas e património construído, mas será também um fator de dinamização dos produtos endógenos, da economia local e da fixação de mais jovens». Por sua vez, José Couto, presidente do CEC, considerou que o relacionamento cultural, social e económico que existe entre o Alto Minho e a Galiza «é um exemplo a seguir para o resto de Portugal». No entanto, o dirigente lembrou que Portugal e Espanha partilham a fronteira mais antiga e estável da Europa, «mas continuamos de costas uns para os outros», no que disse ser fruto de uma «questão cultural».
Já Tomás Martins, presidente da AENEBEIRA, afirmou que o turismo tem revelado nos últimos anos «índices ineludíveis de assinalável crescimento nas regiões do interior na procura, oferta e investimento». Nesse contexto, será «o principal instrumento de multiplicação de oportunidades empresariais nestas regiões», considerou o dirigente, enquanto Amílcar Salvador, presidente do município de Trancoso, lembrou que a “cidade de Bandarra” tem batido recordes em termos de visitantes e de dormidas fruto da aposta «em eventos e na valorização do património». «Hoje, Trancoso é um destino turístico incontornável entre o Douro e a Serra da Estrela», disse o edil.

Sobre o autor

Jornal O Interior

Deixar uma resposta