Região

População contesta novo pedido de exploração mineira na Argemela

Escrito por Jornal O Interior

Foi submetido em novembro último, por parte da PANNN – Consultores de Geociências, Lda., um novo pedido de exploração experimental de minerais de lítio, estanho e volfrâmio, entre outros, na Serra da Argemela (Covilhã).
A intenção já foi contestada pelo Grupo Pela Preservação da Serra da Argemela (GPSA) por alegadamente se tratar de uma exploração a céu aberto e por «as populações afetadas e os seus representantes, nomeadamente as Juntas de Freguesia, não terem tido qualquer conhecimento do pedido», referem em comunicado. O GPSA diz que «tudo fará para garantir que nenhum dos pedidos avance», afirmando que se trata de «um atentado contra as populações dos concelhos da Covilhã e do Fundão, contra o rio Zêzere, contra a estrutura arqueológica do Castro da Argemela (em vias de classificação), contra todas as valências da Serra da Argemela e da região nas quais o impacto negativo é constantemente sonegado». Os vários alertas lançados pelos defensores da Argemela mereceram recomendação no parecer da comissão de avaliação da Agência Portuguesa do Ambiente (APA), publicado em fevereiro de 2018, tendo sido solicitado à empresa que «o Estudo de Impacto Ambiental contemplasse os nossos alertas e receios legítimos». Contudo, «inesperadamente, a empresa opta agora por este pedido de exploração experimental», lamenta o GPSA, que alerta para o facto da cota «a que se pretende fazer a exploração ser superior à generalidade das povoações afetadas nos dois concelhos».

Sobre o autor

Jornal O Interior

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (Ainda sem votos)
Loading...

Deixe comentário