Sociedade

Projetos de alunos do IPG mostram empreendedorismo na prática

Escrito por Sofia Craveiro

Politécnico da Guarda realizou Dia do Empreendedorismo & Emprego para despertar o espírito empreendedor nos seus estudantes

O Instituto Politécnico da Guarda promoveu na quinta-feira o Dia do Empreendedorismo & Emprego. A atividade juntou entidades locais para a apresentação dos resultados do projeto PIN (Poli-Entreprenuership Innovation Network), que promove o empreendedorismo e iniciativas empresariais na rede de ensino politécnico através da aposta de formação de docentes e alunos.
Na sessão estiveram presentes Jaime Andrez, presidente do Compete 2020; Nuno Mangas, presidente do IAPMEI; além de Pedro Dominguinhos, presidente do Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos (CCISP), para quem este projeto «é forma de transformação cultural que é crucial para as nossas instituições». Por sua vez, Joaquim Brigas, presidente do IPG, destacou a «aposta no empreendedorismo» como sendo «uma das soluções para [os alunos] dos territórios de baixa densidade». Já o secretário de Estado da Ciência e Ensino Superior, João Sobrinho Teixeira, sublinhou a importância da ciência e ensino superior no desenvolvimento das regiões e afirmou que a «rede de ensino superior é a melhor relação custo-benefício que o país pode ter para promover a coesão territorial». Contudo, o governante ressalvou que, apesar disso, «o interior tem que mostrar o que vale» neste campo. Para João Sobrinho Teixeira, «não será bom» que o ensino superior no interior e as «suas potencialidades de atração» estejam determinadas «por uma política central de promoção da coesão territorial», como é o caso da redução das vagas existentes nas instituições de Lisboa e Porto.
O projeto PIN, que obteve um financiamento de 743.126,76 euros, consistiu na criação de uma plataforma que disponibiliza conteúdos, estudos, e-learning e diversos recursos às instituições da rede, além de fazer a gestão do concurso Poliempreende. Uma das atividades previstas no programa foi precisamente a apresentação das ideias de negócio desenvolvidas pelos alunos da região durante a frequência dos seus cursos superiores. As ideias, integradas no “Concurso Regional do Poliempreende 2019” do IPG, foram comentadas e criticadas por especialistas, que alertaram os alunos para os elementos a corrigir nos trabalhos desenvolvidos. Esta foi a primeira fase da metodologia de ensino Poliempreende. Numa segunda etapa será proporcionada às equipas em concurso formação nas áreas necessárias para conclusão dos planos de negócio. Estes serão apresentados a um júri regional e os melhores irão representar a sua instituição de ensino perante o júri nacional do Poliempreende.

Sobre o autor

Sofia Craveiro

Deixar uma resposta