Sociedade

Marco Baptista confessa tudo na primeira sessão do julgamento

Escrito por Luís Martins

O ex-consultor da Rede de Judiarias de Portugal Marco Baptista confessou, esta quinta-feira, no início do seu julgamento, ter-se apropriado de 115.640 euros daquela instituição em 2017. O antigo candidato do PSD à Câmara da Covilhã está a ser no Tribunal de Castelo Branco por um crime de burla qualificada e três de falsificação de documentos.

O arguido confessou todos os factos e pediu desculpa à Rede de Judiarias de Portugal, tendo justificado a sua atuação num «ato de desespero» e revelou que chegou a um «ponto de exaustão física e psicológica». Perante esta confissão, o seu advogado prescindiu de toda a prova e da inquirição das testemunhas. Seguiram-se as alegações finais, onde o Ministério Público (MP) disse que este caso era uma «situação grave», uma vez que estão envolvidos dinheiros públicos de que o arguido se apropriou em proveito próprio.

No entanto, a procuradora admitiu a suspensão de pena para os crimes praticados pelo arguido, situação também assumida pela advogada da Rede de Judiarias de Portugal, que sublinhou os factos geraram «questões sérias» de tesouraria à instituição, além de «outros prejuízos e inconvenientes». Já a defesa recordou que Marco Baptista assumiu os factos logo no momento da sua detenção pela Judiciária e abordou o quadro depressivo em que o arguido se encontrava, tendo mesmo invocado uma situação de «imputabilidade diminuída».

A leitura do acórdão ficou marcada para o dia 12, às 13h45.

Sobre o autor

Luís Martins

Deixar uma resposta