Região

Trabalhadores da DURA reunidos em novo protesto

Escrito por Sofia Craveiro

Os funcionários da empresa em Vila Cortês do Mondego (Guarda), reuniram-se novamente esta quarta-feira, junto à fábrica, para protestar contra a incerteza que paira sobre o futuro da firma.

De acordo com Paulo Ferreira, dirigente sindical, «o turno da meia-noite às 8 da manhã teve uma adesão de 100 por cento a este protesto, já no turno seguinte, que se iniciou das 7 às 15h30, apenas dois trabalhadores iniciaram as obrigações laborais». Já nos escritórios «quase todos compareceram ao trabalho».

Assim, cerca de 80 trabalhadores protestam à porta da DURA Automotive, onde se juntaram ainda cerca de duas dezenas de populares e ex-trabalhadores da fábrica.

A ausência de esclarecimentos por parte da administração da empresa foi a grande motivação de mais uma paralisação. «Queremos que nos seja comunicada qual a decisão», afirma Paulo Ferreira que lamenta «que os trabalhadores sejam obrigados a permanecer nesta incerteza diariamente».

Segundo relata  Paulo Ferreira, da comissão de trabalhadores, a direção «comunicou-nos que ainda está em negociações», com o maior cliente, apesar de tudo indicar que este irá mesmo abandonar a produção nesta fábrica. Esta perda está prevista para o final de agosto, mas «não há até ao momento nenhuma carta de despedimento impressa», conta Paulo Ferreira que explica ainda que os funcionários, que estarão em número excessivo após a saída deste cliente, «vão-se revezando neste período de férias, não sendo ainda notório o excedente» de recursos humanos na DURA Automotive.

A paralisação em Vila Cortês do Mondego coincidiu com o protesto da fábrica do Carregado, onde os trabalhadores também se reuniram, a partir das sete da manhã de quarta-feira.

Sobre o autor

Sofia Craveiro

Deixar uma resposta