Prontuário de campanha

Aliança – Nos debates entre os partidos sem assento parlamentar, Santana Lopes parece o Bruno Fernandes na actual equipa do Sporting.
Bloco de Esquerda – Do trotskismo à social-democracia, sem dar a volta completa ao tabuleiro. Faço referência a um jogo sobre o capitalismo para chatear os marxistas que ainda lá ficaram.
Centro Democrático Social – Partido Popular – Tenho poucos desejos políticos, mas espero sinceramente que Assunção Cristas continue a irritar António Costa.
Chega – São contra subsídios e a favor de cacetada. Ou então adormeci.
Coligação Democrática Unitária – São comunistas. Em 2019. Admiro sempre a vitória da esperança sobre a experiência.
Iniciativa Liberal – São contra os impostos. Eu também gostava de ser imortal.
Juntos Pelo Povo – É da Madeira, mas não é o Ronaldo.
Livre – A ambição do Livre em 2015 era unir a esquerda, o que o PS conseguiu. A ambição do Livre em 2019 é eleger um deputado negro, o que o CDS pode voltar a conseguir.
Movimento Alternativa Socialista – A alternativa proposta pelo MAS é fazer o mais ou mesmo que a geringonça já fez.
Partido da Terra – O Partido da Terra foi um bonito projecto de Gonçalo Ribeiro Telles. Pelo menos Ribeiro Telles ainda está vivo.
Nós, Cidadãos! – Um partido com sinais de pontuação.
Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses – Afirmaram num debate que os problemas do país que não se resolvem em eleições e que estamos a caminho da revolução. A que horas sai o comboio?
Partido Democrático Republicano – Partido de Marinho e Pinto para Marinho e Pinto desabafar sobre o que consome Marinho e Pinto.
Partido Nacional Renovador – Propõem um Ministério da Família. Risotas? Também já tivemos Ministérios do Mar, da Igualdade, e o saudoso da Qualidade de Vida (que foi Ribeiro Telles).
Partido Trabalhista Português – São trabalhistas de centro. Não vi Tony Blair.
Partido Social Democrata – Ninguém percebeu se Rui Rio tinha mesmo vontade de ganhar isto.
Partido Socialista – Já estou “conxializado” que entre manhas e chico-espertices vão governar mais dez legislaturas, coligando-se seja com quem for.
Partido Popular Monárquico – Gonçalo da Câmara Pereira vai à missa ao Domingo. Foi tudo o que ouvi.
Partido Unido dos Reformados e Pensionistas – O líder do partido esteve na Guiné. É tudo o que sei.
Pessoas-Animais-Natureza – Andávamos todos preocupados com os radicalismos da esquerda pós-moderna e da direita pré-contemporânea e afinal o totalitarismo chegou pelos bichos e pelos legumes.
Reagir Incluir Reciclar – Dizem que não é o homem que cava a terra, é a terra que cava o homem, por isso Vitorino Silva apelou aos votos das árvores.

Sobre o autor

Nuno Amaral Jerónimo

Deixar uma resposta