Sociedade

Covilhã quer transportes para as Penhas da Saúde e Torre e novas taxas de estacionamento

Escrito por Sofia Craveiro

As linhas gerais do novo sistema de mobilidade do município revelam diversas alterações nos transportes da Covilhã. Bicicletas elétricas, ligação direta às Penhas da Saúde e Torre, novas taxas de estacionamento e a aplicação de uma taxa turística nos elevadores urbanos são alguns dos critérios que o executivo pretende impor ao próximo concessionário.

O novo sistema de mobilidade vai trazer diversas novidades à Covilhã. As linhas gerais do plano definido para a nova concessão de transportes incluem o reforço das ligações suburbanas entre a cidade e as vilas do Tortosendo e do Teixoso, novas ligações para as Penhas da Saúde e Torre e novas taxas para estacionamento nos silos da cidade. Incluem-se aqui o silo da praça do município e do Sporting da Covilhã, pelo qual a autarquia passará a pagar uma renda anual de 50 mil euros (para depois entregar à concessão).
Haverá também novas taxas de estacionamento nas zonas do centro comercial da Estação, na avenida do pavilhão ANIL e Alameda Europa (que liga ao Serra Shopping). Serão abrangidos um total de mil lugares, «700 em silo e 300 à superfície», de acordo com o edil covilhanense, que adiantou que será a Câmara a definir o valor das taxas a pagar, que ainda não foi estabelecido. «O objetivo é conseguir valores de taxas que sejam mais “leves” para os munícipes», diz Vítor Pereira, presidente da Câmara da Covilhã, a O INTERIOR. Estas taxas terão margem para um sistema de descontos dirigido a famílias com várias viaturas, segundo o edil. «Uma familía que tenha, por exemplo, quatro viaturas, terá a taxa gratuita para o primeiro, pagará apenas 50 por cento no segundo e terceiro automóveis, sendo que apenas o quarto pagaria o valor total», que está estimado em cerca de «30 euros anuais», refere Vítor Pereira.
Além das mudanças referidas, haverá novos circuitos de autocarros e cobrança de uma taxa de utilização turística nos elevadores urbanos, que continuarão a ser gratuitos para residentes no concelho. O sistema discriminatório irá ser feito «através de um cartão ou aplicação de telémovel». A emissão do documento será feita pelas respetivas Juntas de Freguesia «sem qualquer custo para os cidadãos do concelho», sublinha o autarca covilhanense. Inclui-se assim no plano uma nova aplicação de telemóvel polivalente, a «bilhética integrada», a concessão de uma rede de bicicletas elétricas (fator opcional da futura concessionária) e passes gratuitos para todos os estudantes, além de descontos de 50 por cento na rede de transportes para portadores do Cartão Social Municipal. Haverá ainda uma ligação permanente a circundar a «malha urbana da Covilhã», que permitirá maior flexibilidade de horários nos transportes.
Vítor Pereira revelou ainda que «todos os abrigos de transporte da cidade serão substituídos e terão informação detalhada». Após ser aprovado em reunião de Câmara, o plano tem agora de ser avaliado pela Autoridade da Mobilidade e Transportes (AMT). Posteriormente será novamente apresentado ao executivo e assembleia municipal, onde será «aprovado de forma rigorosa e precisa» antes de ser lançado o respetivo concurso público internacional. A concessão irá estender-se por dez anos, sendo setembro de 2020 a data prevista de conclusão do processo de mudança. O transporte público na Covilhã é assegurado atualmente pela empresa Covibus, cujo contrato de prestação de serviços termina este mês.

Sobre o autor

Sofia Craveiro

Deixar uma resposta