August Weismann

Escrito por Jornal O Interior

Defensor convicto das teorias darwinianas, August Weismann é considerado um dos pais da genética moderna graças aos seus valiosos contributos, como a hipótese do plasma germinativo, segundo o qual este é o componente das células responsáveis pela hereditariedade.
Nascido em Frankfurt em 1834, no seio de uma família abastada, August Friedrich Leopold Weismann cedo se interessou pelas ciências naturais e desde muito jovem iniciou uma vasta coleção de borboletas, vermes, escaravelhos e todo o tipo de insetos. Trabalhou em Frankfurt e em Itália e foi médico do Grão-Duque da Áustria, de 1861 a 1863, mas o seu cargo mais importante foi a cadeira académica na Universidade de Freiburg, onde ensinava Zoologia e trabalhou até se reformar.
Os primeiros trabalhos de Weismann são experiências com insetos. Mas com o decorrer dos anos foi passando do particular ao geral para se dedicar às grandes questões teóricas. Foi desde sempre seguidor da teoria de Darwin e inúmeras vezes interveio em sua defesa, como prova o seu livro “Justificação da Teoria Darwinista”, que escreveu para destronar as ideias criacionistas. No entanto, não concordava com Darwin quanto à sua aceitação da teoria dos caracteres adquiridos de Lamarck: não via como as mudanças no corpo podiam passar para as células e, daí, transmitirem-se às gerações seguintes.
Numa apresentação de 1883 intitulada “Sobre a Hereditariedade”, Weismann sugeria que era necessário encontrar outro mecanismo que pudesse explicar a evolução. Propôs a hipótese do plasma germinativo, o componente das células responsáveis pela hereditariedade. A novidade na teoria de Weismann é que ele separa as células germinativas das células somáticas, sendo estas as restantes células do corpo incapazes de transmitir os caracteres hereditários.
Defendia também que a informação contida no soma (corpo) não podia passar às células para ser transmitida às gerações seguintes, o que é conhecido por “Barreira de Weismann”. Esta ideia deixava sem efeito a teoria lamarckiana da hereditariedade dos caracteres adquiridos.
Weismann é ainda hoje universalmente reconhecido. Embora alguns dos termos que ele utilizou tenham sido substituídos por outros, as suas descobertas ajudaram a estabelecer as bases da genética moderna.

Sobre o autor

Jornal O Interior

Deixar uma resposta