Desporto

Sp. Covilhã segue sem vencer

Escrito por Jornal O Interior

Serranos empataram com o Benfica B na última jogada do encontro de estreia de Daúto Faquirá no comando técnico

Ainda não foi desta que o Sp. Covilhã regressou às vitórias, mas, do mal o menos, voltou a pontuar na IIª Liga ao conceder no último domingo um empate a duas bolas na receção ao Benfica B na 14ª jornada.
O primeiro tempo foi pautado pelo equilíbrio, com os serranos, que estrearam Daúto Faquirá no banco, a jogarem mais vezes no meio campo encarnado. Os covilhanenses, que vencem há seis jornadas, foram mais incisivos na tentativa de furar o último reduto do Benfica B, que estavam há cinco rondas sem vencer. Aos 4’, Adriano Castanheira, no último jogo pelo Covilhã, foi o primeiro a criar perigo com um remate ao lado de fora da área. Eficazes, os locais chegaram à vantagem aos 8’, por intermédio de Mica Silva. Adriano fez um passe de rutura, o médio recebeu a bola à entrada da área, rodopiou e rematou rasteiro junto ao poste, para o fundo das redes. Na outra área, Tiago Dantas assustou, de cabeça, e Kukula respondeu também com um cabeceamento para fora. Aos 32’, o Benfica igualou, na sequência de uma desatenção da defensiva covilhanense com Daniel dos Anjos a ganhar a bola na direita e a marcar com um remate cruzado.
O intervalo chegou com o 1-1 no marcador e no reatamento as equipas apresentaram-se combativas e o encontro manteve-se repartido. No entanto, o Benfica foi aumentando a pressão e criando perigo, com Tiago Dantas a atirar para a defesa fácil de Carlos Henriques. Aos 63’, o guardião serrano fez uma primeira defesa incompleta e quando Csoboth se preparava para a recarga, Carlos Henriques derrubou o húngaro na área. Na conversão da grande penalidade, marcada por Nuno Santos, o guarda-redes do Covilhã defendeu para o poste. Seis minutos depois, Gonçalo Ramos isolou-se e Carlos Henriques voltou a ser protagonista, ao sair da baliza e impedir o golo.
Numa altura em que o Covilhã estava a conseguir aliviar a pressão, Jean Batista cruzou da esquerda, mas Daffé não foi capaz de encostar para a baliza e Mica Silva acertou na barra, aos 72’. Aos 90’, Nuno Santos aproveitou a permissividade da defesa local e, com um remate colocado, operou a reviravolta no marcador, mas, já nos descontos (90’+7’), Bonani, que tinha entrado aos 70’, aproveitou um ressalto e, de fora da área, fez o empate final. O resultado não beneficia o conjunto serrano, que somou o nono jogo sem ganhar em todas as competições e vai cair na classificação para o oitavo lugar, fruto da vitória do Chaves. No próximo domingo, os covilhanenses jogam em Lisboa com o Casa Pia.

Daúto Faquirá quer Sp. Covilhã «perto dos primeiros lugares» da IIª Liga

O novo treinador do Sp. Covilhã quer o clube «perto dos primeiros lugares» da IIª Liga. Daúto Faquirá estreou-se este domingo no banco do emblema serrano e já assumiu como objetivo a luta pela permanência.
«Queremos fazer um campeonato tranquilo. Primeiro, garantir a manutenção, e, depois, pensar em valorizar jogadores, a equipa e trazer mais gente ao estádio. Para que isso aconteça, é preciso fazermos bons jogos e chegarmos a um patamar perto dos primeiros lugares. Depois da manutenção, vamos estabelecer objetivos de uma forma faseada», adiantou o técnico aos jornalistas na quinta-feira, após o seu primeiro treino na Covilhã. O sucessor de Ricardo Soares considerou que, nos últimos jogos, os resultados não têm estado «em concordância» com o que os serranos produziram em campo, pelo que vai dar «um cunho pessoal àquilo que de bom que está a ser feito». Com Daúto Faquirá, que ainda não quer falar em reforços, chegaram à Covilhã os adjuntos Paulo Pereira e Mauro Miguel. Da equipa técnica fazem ainda parte Luciano Vítor, treinador de guarda-redes, e Paulo Gomes, também técnico da equipa B.

Gilberto chegou aos 300 jogos na IIª Liga

Gilberto, o capitão do Sp. Covilhã, alcançou no domingo a marca dos 300 jogos na IIª Liga e o registo excecional foi assinalado com a entrega de um quadro alusivo ao momento pelo presidente da Liga, Pedro Proença, antes da partida com o Benfica B no Santos Pinto.
Formado no Boavista, o médio de 32 anos é atualmente o capitão dos serranos e está a cumprir a oitava época ao serviço do clube, sendo também o jogador com mais jogos disputados de “leão da serra” ao peito, o que já lhe garantiu um lugar de honra na história do Sp. Covilhã. Para Pedro Proença, o feito de Gilberto é «o reflexo da sua forma de estar no futebol», sendo «um profissional de excelência, que trabalha sempre nos limites em busca de dar o máximo pela sua equipa». O presidente do organismo que tutela o futebol profissional destacou ainda a longa ligação do jogador natural de Guimarães ao Covilhã, considerando que é «algo cada vez mais raro nos dias que correm», pelo que é, «sem dúvida, uma das referências atuais do futebol profissional e um motivo de grande orgulho para todos os sócios e adeptos de um emblema que representa uma região».

 

Juvenis do Sp. Covilhã jogaram com oito jogadores para igualar adversário

No passado dia 22 a equipa de juvenis do Sporting da Covilhã disputou um jogo contra o Vila Velha de Rodão, da sexta jornada do Distrital de Castelo Branco do escalão, com apenas oito jogadores em campo.
A decisão foi do treinador dos “leões da serra”, José Rosa, que quis igualar o número de jogadores da equipa adversária, que se encontrava diminuída por falta de disponibilidade dos atletas. O Vila Velha de Rodão é um clube com dificuldades no recrutamento que possui um plantel de apenas 17 elementos. O clube sabia que no dia da partida não contava com cinco jovens, um estava lesionado e três adoeceram. Duas semanas antes tinha sido pedido ao Covilhã para adiar a partida, mas a data pretendida já estava ocupada, o que levou a que o treinador do Covilhã optasse por reduzir a própria equipa para ficar em situação de igualdade. O Vila Velha de Ródão, sem nenhum juvenil de segundo ano e com quatro iniciados em campo, perdeu por 13-0 em casa, mas o treinador do Sp. Covilhã considerou que, sobretudo nos escalões de formação, tão ou mais importante do que os resultados são os valores transmitidos.

Sobre o autor

Jornal O Interior

Deixar uma resposta