Política

Pedro Fonseca pede ao Governo «medidas estruturantes»

Escrito por Jornal O Interior

Decorreu, no sábado, o Almoço de Reis da Federação Distrital do PS Guarda, em Vila Nova de Foz Côa, que reuniu cerca de 200 militantes e simpatizantes de todo o distrito.
Estiveram presentes os secretários nacionais Pedro Marques e José Manuel Mesquita, o ex-Governador Civil da Guarda e deputado à Assembleia Constituinte, Alberto Antunes, e o Presidente Honorário da Federação, Carlos Luiz. Na sua intervenção, Pedro Fonseca pediu «medidas estruturantes» para o interior e para o distrito da Guarda. O presidente da Federação lembrou o Governo da «necessidade» de um «reforço do investimento público na saúde», identificando como «prioritário» a conclusão integral da segunda fase das obras do Hospital Sousa Martins, na Guarda. Também a reversão da privatização dos CTT, com «pelo menos, uma estação de correios em cada concelho», e a implementação de «um programa a curto prazo com vista à abolição total das portagens na A23 e na A25» foram outras das medidas reclamadas pelo líder socialista.
Pedro Fonseca afirmou ainda que constitui «um contrassenso flagrante» o Governo pedir medidas que atenuem a chamada “Europa a Duas Velocidades” «se no próprio território nacional não houver capacidade e coragem políticas para combater um “País a Duas Velocidades”: o Litoral e o Interior». Já Pedro Marques aproveitou para recordar as medidas que o Governo implementou «com vista à valorização do interior», destacando as acessibilidades ferroviárias e os descontos para passageiros e mercadorias nas portagens da A23 e da A25. «Será esse o caminho a seguir nos próximos tempos», afirmou o também ministro do Planeamento e Infraestruturas. Pedro Marques fez questão de frisar que esta era a sua primeira intervenção partidária na pré-campanha para as eleições Europeias de 2019. O governante é apontado como o candidato mais provável a cabeça lista do PS ao Parlamento Europeu.

Sobre o autor

Jornal O Interior

Deixar uma resposta