Política

Nuno Melo diz que PS tem o «património do calote»

Escrito por Luís Martins

Nuno Melo, cabeça de lista do CDS às europeias, atacou o PS e o Governo, afirmando, este domingo na Mêda, que, ao contrário do que reclamam, os socialistas não têm o «património das contas certas», mas sim o «património do calote».

A expressão foi usada num almoço com militantes e simpatizantes a propósito da notícia da ameaça da Altice de cortar o SIRESP (Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal), sistema de redes de comunicação de emergência e segurança usado, por exemplo, em incêndios, devido ao uma dívida de 11 milhões de euros.

Além desse, os socialistas têm «o património das intervenções do FMI, já lá vão três», acrescentou o candidato reclamando para a direita «o património das contas certas». Segundo Nuno Melo, «pede-se, contrata-se e não se paga», apontando aos socialistas. O eurodeputado ironizou ainda que «o verdadeiro cabeça-de-lista do PS às europeias é António Costa», remetendo Pedro Marques para um papel «formal» e lembrou que há, no atual Governo, pelo menos cinco governantes do tempo de José Sócrates, que os centristas têm acusado de levar o país à bancarrota, em 2011.

Aos simpatizantes, o cabeça de lista centrista afirmou que o CDS «é a única escolha de quem é de direita», da «direita democrática», enquanto o PSD tem-se reclamado do centro, o seu líder, Rui Rio, do «centro-esquerda» e já fez três acordos com o PS. Também presente na Mêda, Assunção Cristas atacou Pedro Marques, a «má cara do candidato do PS» às europeias e do «desinvestimento, da má execução dos fundos», em resposta a António Costa que criticou os «candidatos engraçadinhos» da direita.

Sobre o autor

Luís Martins

Deixe comentário