Política

Ana Mendes Godinho diz que PS não tem «problema nenhum» na Guarda

Escrito por Luís Martins

Cabeça de lista socialista pelo círculo eleitoral da Guarda reuniu na segunda-feira com autarcas e líderes concelhios para apelar à mobilização

Ana Mendes Godinho reuniu com autarcas e presidentes das concelhias do PS na segunda-feira e apelou à mobilização na sequência da demissão em bloco do Secretariado da Federação e do presidente da Distrital, Pedro Fonseca.
Em declarações a O INTERIOR, durante uma visita à redação, a cabeça de lista pela Guarda garante que «não há problema nenhum» com as estruturas locais do partido. «Tenho no distrito um conjunto de pessoas cheias de vontade de dar valor ao grande histórico do PS e ao papel que tem tido em termos de Governo», afirmou a candidata, reiterando que tem sentido «um grande apoio de todos, até mesmo de gente que não é do PS». Na sua opinião, «estamos todos mobilizados, tenho uma lista muito bem conseguida, que reúne várias sensibilidades e pessoas reconhecidas na região». Já o seu objetivo é «fazer o melhor possível e afirmar, acima de tudo, a importância da Guarda e dos territórios do interior no todo da governação do país». Para isso, Ana Mendes Godinho conta com o envolvimento de «todos» para elaborar um programa de ação em que «as pessoas se revejam» e para ser implementado. «Se o conseguirmos, essa sim será uma conquista», acrescentou a atual secretária de Estado do Turismo.
A candidata – cuja mãe é natural de Vila Nova de Foz Côa, onde ainda tem «muita família – diz ter sentido «orgulho» ao saber que o seu nome foi proposto pela Federação, entretanto caída em desgraça. «Foi também uma surpresa, mas acaba por ser um desafio muito grande porque seria muito mais confortável ir numa lista por Lisboa. Aqui tenho esta responsabilidade de defender estas terras nas quais acredito tanto», justifica. Uma tarefa que Ana Mendes Godinho diz já ter iniciado nas suas funções governativas ao «abrir o mapa turístico de Portugal e apostar muito nos territórios do interior utilizando cada vez mais o turismo como instrumento de desenvolvimento territorial».
«Há uma aposta fortíssima e com resultados que se estão a sentir. Mas queremos que este trabalho seja assumido e continuado também noutras áreas da governação para garantir que a coesão territorial não seja só uma expressão teórica e é de facto uma realidade. Atualmente, no distrito da Guarda temos 52 projetos turísticos em desenvolvimento. No interior são 619», elenca. Quanto à campanha, a socialista promete estar «permanentemente» no terreno e «olhar as pessoas nos olhos» para identificar «com elas os seus problemas, as soluções, os desafios e construir em conjunto projetos de futuro». E o seu compromisso será mesmo «responder com ações e não com filosofia ou boas intenções, não vou meter a cabeça na areia», promete. A lista socialista será apresentada oficialmente no final de agosto.

Hotel Turismo vai reabrir com «esta empresa ou com soluções combinadas com outras»

Ana Mendes Godinho diz não ter «dúvida nenhuma» que o Hotel Turismo da Guarda «se fará e será aberto, seja com esta empresa ou com soluções combinadas com outras».
A secretária de Estado do Turismo comentou a notícia de O INTERIOR da semana passada para dizer que está a acompanhar o caso após uma das empresas do Grupo MRG ter apresentado um Plano Especial de Recuperação, mas garantiu que não está preocupada. «O consórcio está a cumprir todos os prazos previstos, tem estado a desenvolver os projetos de arquitetura para o licenciamento da própria unidade», referiu a governante, confirmando que a MRG está interessada em «várias hipóteses de parceria para concretizar uma das partes da unidade». De resto, Ana Mendes Godinho esclarece que cabe ao Estado «autorizar ou não sub-rogações de partes do projeto». O concessionário da reabilitação do Hotel Turismo tem quatro anos para reabrir a unidade, uma contagem que começou em março de 2018 com a assinatura do contrato.

Sobre o autor

Luís Martins

Deixar uma resposta