Sociedade

CIMBSE contesta estudo do IPG sobre habitações indignas

Escrito por Sofia Craveiro

A Comunidade Intermunicipal Beiras e Serra da Estrela (CIMBSE) coloca em causa os resultados do estudo divulgado no passado domingo pelo Instituto Politécnico da Guarda. 

Em comunicado a CIMBSE coloca em causa os resultados do estudo, no qual era mencionado que «o número de famílias que vivem situações de grave carência habitacional na região das Beiras e Serra da Estrela ultrapassa os 30%», classificando esta afirmação como «uma conclusão destituída de qualquer validade».

Esta entidade questiona a abrangência do estudo «supostamente» relativa à área das Beiras e Serra da Estrela:  «No desenvolvimento da notícia, é referido que o alegado estudo incidiu num único município o que torna estranha a extrapolação dos dados para o conjunto do território de quinze municípios que compõem a CIMBSE», lê-se na mesma nota assinada por Luís Tadeu, presidente da CIMBSE.

Ainda de acordo com a nota da Comunidade Intermuncipal «calcula-se que, nas análises efetuadas, os investigadores tenham tomado por habitação qualquer edifício degradado que tenha, em tempos, sido destinado a habitação, para terem chegado ao elevado nível de habitação degradada que enunciaram e publicitaram».

Saiba qual a posição do IPG sobre este assunto na próxima edição em papel de O INTERIOR.

 

 

Sobre o autor

Sofia Craveiro

Deixar uma resposta