Política

«Pode-se servir a Guarda em Bruxelas», diz Álvaro Amaro

Escrito por Luís Martins

Álvaro Amaro considera que «se pode, sem sombra de dúvida, servir a Guarda em Bruxelas» e que «abraça este novo desafio» de ser candidato ao Parlamento Europeu, partindo de consciência tranquila» porque confia na equipa que o acompanha desde 2013, «reforçada» em 2017 pela vereadora Lucília Monteiro e agora por Cecília Amaro, atual adjunta do presidente da Câmara.

Em conferência de imprensa realizada esta quinta-feira, o autarca adiantou que houve uma «circunstância nacional» que o levou a aceitar integrar a lista do PSD às europeias e que irá suspender o mandato em meados de abril, «após apresentar as contas do município» na Assembleia Municipal, até à tomada de posse como eurodeputado. «É ponto de honra», acrescentou, prometendo estar «sempre presente», mas sem constituir «alguma sombra» ao seu sucessor, Carlos Chaves Monteiro.

«Saio com o conforto pessoal e político de deixar uma equipa coesa, forte e muito bem preparada, em termos de gestão e de relacionamento com a sociedade da Guarda», disse o edil, reconhecendo que conseguir para a Guarda a capitalidade da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela é a sua «marca» nestes seis anos de mandato. Outra «grande obra» foi «equilibrar as contas» da Câmara, «que não tinha dinheiro, quando chegámos em 2013».

Saiba mais na próxima edição de O INTERIOR.

 

 

Sobre o autor

Luís Martins

Deixar uma resposta

Comentar