Economia

2018, um ano feliz para a Adega de Pinhel

Escrito por Jornal O Interior

A viver um momento feliz, a Adega de Pinhel terminou o ano «muito positivamente». O presidente da cooperativa destaca a conquista de quatro medalhas nos prémios “Vinduero-Vindouro” e a eleição do vinho “Pinhel Celebração 65º anos Reserva 2015” como o melhor vinho do concurso “Escolha da Imprensa”, no Beira Interior – Vinhos & Sabores.
Mas há mais, o estudo da DECO Protest considerou o Síria Grande Escolha, de Pinhel, como o melhor branco da Beira Interior com 81 pontos, o que Agostinho Monteiro considera ser uma «referência positiva, por ser uma revista independente e que avalia na ótica do consumidor». O ano «fecha em grande» também graças ao espumante D. Manuel I Bruto Branco 2015 e ao vinho Pinhel Celebração 65 Anos Reserva Tinto 2015 que receberam selo de aprovação do Clube Vinhos Portugueses, com 85 e 91 pontos, respetivamente.
Bons resultados que o responsável diz serem fruto das «ótimas condições para produzir bons vinhos», mas não só, pois Agostinho Monteiro também atribui louros ao enólogo da Adega, que «está de parabéns pelo desempenho que tem feito e pelas melhorias que ele próprio tem introduzido».
E embora reconheça que foi um ano de «crescimento», o presidente da cooperativa considera que a instituição não pode ficar por aqui: «Ainda não é o patamar que gostaríamos, mas continuar a crescer leva tempo», refere Agostinho Monteiro. «Às vezes é muito fácil chegar ao topo, mas é muito mais difícil manter-nos lá em cima», acrescenta, afirmando que «o importante é subir o patamar de uma forma sólida».
O último ano não se fez apenas de prémios, mas também da aposta em novos néctares, como o Synfonia, que lançou a Adega no mundo dos rosés. Mas esta é uma marca que não deverá ficar por aqui e já está a ser trabalhado o lançamento do branco e do tinto. «Temos uma distribuidora nacional interessada em ficar com o exclusivo da comercialização da marca», avançou o responsável, que considera este interesse a nível nacional como um índice revelador de «qualidade». Tendo em vista «as várias solicitações do mercado», o Synfonia pode ainda aventurar-se com um reserva e outro DOC.
Sempre de olhos postos no futuro, a Adega de Pinhel mantém para o próximo ano o objetivo de «consolidação dos projetos de modernização», assim, entre os investimentos, estão a ser instalados dois depósitos de fermentação e a aposta passa também por uma nova linha de engarrafamento, que poderá abrir portas ao lançamento de um frisante.

Sobre o autor

Jornal O Interior

Deixar uma resposta