22:22

Escrito por Diogo Cabrita

Uma contagem de filme. Foi naquela hora que combinámos tudo, dia 22 de fevereiro de 2002. Temos tudo acertado para 2022 na mesma hora e no mesmo dia. Seremos os mesmos 22 da turma da professora Engrácia e vamos estar todos na sala 22 onde tivemos aulas em criança. Temos esta fé em que, cumprindo o ritual dos 22, não morrerá nenhum até 2022 e pelo menos para já estamos bem e contactamos regularmente. Engrácia dá aula nas carteiras da escola que a Junta mantém e abre para nós. Fecharam a escola em 2008. Fecharam o Centro de Saúde em 2009, reabriram em 2016, tal como regressou o tribunal. Está aberto, mas com muito menos funções que em 2002. Engrácia vai fazer 88 anos a 22 de fevereiro de 2022 e, portanto, a nossa esperança está a olhar para ela. Alugámos um autocarro em 2002 e o mesmo em 2012. A matrícula tinha um 22 – não podia ser outro. O Moisés, a empresa de viagens, já sabe que iremos buscar este veículo em 2022. O Fernando, que entretanto enriqueceu, pediu para lho venderem depois da festa e pretende fazer um pequeno bar com ele. A nossa terra tem festas a 22 de cada mês e, portanto, nesses dias venderá bifanas. A Carla Cereja é nossa colega e dedicou-se ao mundo destas incógnitas e significados. Ela sabe que na Cabala há 10 “sfirot” ligados por 22 caminhos. Ela ensina que Sfirot são potências ou agentes pelos quais Ein Sof manifestou Sua vontade (Ratzon= רצון) na produção do Universo. A Carla explica que o anjo da guarda correspondente 22:22 é Habuhiah cujo período de influência é entre 22:20 e 22:40. Com a Carla descobrimos que ele é o símbolo da fertilidade e saúde! No Tarot a carta que corresponde a 22:22 é o Louco. Se calha somos possuídos dessa loucura, mas não desistimos de olhar o 22:22 e de nos deslocar ao início da amizade. Descobrimos a força das nossas 22 vidas na partilha e na ajuda que damos uns aos outros e se calha não por acaso há oito casais inseparáveis nascidos naquela turma. Têm 22 filhos entre os oito casais que, afinal, são dezasseis de nós.

Sobre o autor

Diogo Cabrita

Deixe comentário