Economia

Estudo conclui que redução do IRC no interior faz aumentar criação de empresas

Escrito por Jornal O Interior

A redução da taxa de IRC para as empresas levou a um aumento na taxa de criação de novas sociedades e de mais postos de trabalho. Esta tendência tem particular relevância no interior do país, indica um estudo elaborado por três especialistas do Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG), divulgado pelo “Jornal de Negócios”.

A investigação analisou o período entre 1997 e 2011, ao longo do qual foram sendo criados vários benefícios fiscais à interioridade; a dado momento, a taxa de IRC chegou a ser de apenas 10%, um benefício que desapareceu com a crise financeira. Uma das conclusões é que os impostos sobre as empresas «reduzem as capacidades de investimento em capital e em funcionários qualificados», refere Ana Venâncio, uma das coautoras do estudo, em declarações ao “Negócios”. «Para criar uma empresa é necessário dinheiro» e, em regra, «o IRC vem reduzir os resultados retidos das empresas», acrescenta.

Então, com menos impostos para pagar, há mais disponibilidade financeira e as empresas investem mais, permitindo a conclusão de que «a redução da taxa de IRC leva à criação de mais empresas e com maior qualidade», afirma a economista. Os autores concluem que a introdução das alterações fiscais aumentou a entrada de empresas nos municípios beneficiados em 0,41 por cento e a criação de emprego em 0,24 por cento. Para um período de três anos, «e assumindo um conjunto de pressupostos, as reformas levadas a cabo permitiriam a criação de 29.150 empresas e 223.500 postos de trabalho», indica o mesmo estudo.

Sobre o autor

Jornal O Interior

Deixar uma resposta