Economia Especial Ranking Maiores Empresas

Ranking 50 maiores empresas: Danone intromete-se no domínio das celuloses

Escrito por Jornal O Interior

O Ranking das 50 Maiores Empresas do distrito de Castelo Branco, elaborado por O INTERIOR, revela o regresso do sector das celuloses ao topo da tabela. Danone Portugal surge agora em segundo lugar.

Saiba mais sobre as indústrias da região e seus principais intervenientes na série de artigos “Especial Maiores Empresas”

As celuloses regressaram ao primeiro lugar do ranking das 50 maiores empresas do distrito de Castelo Branco de 2018.
A Celtejo ascendeu ao topo graças a um volume de negócios de 129,7 milhões de euros e destronou a Danone Portugal, que no ano anterior tinha assumido a liderança e desta vez registou 117,7 milhões de euros. Estas são as duas únicas empresas de Castelo Branco com resultados acima dos 100 milhões de euros, enquanto a Navigator – que tinha sido a maior empresa do distrito em 2016 – fecha o pódio. Estas mudanças devem-se a uma redução dos volumes de negócios da fábrica de iogurtes de Castelo Branco e da produtora de pasta de papel de Vila Velha de Ródão. No entanto, a Danone foi a empresa que teve maior lucro do exercício, mais de 9,9 milhões de euros contra cerca de 7,8 milhões da Celtejo e 6,6 milhões da Navigator.
Mas quem registou os melhores resultados líquidos de 2018 foram, respetivamente, a eólica Generventos do Pinhal Interior (Oleiros), com mais de 12,4 milhões de euros, a concorrente Lestenergia (Penamacor), com cerca de 11,6 milhões de euros, e a Scutvias, a concessionária da autoestrada A23, que alcançou um lucro superior a 10,8 milhões de euros. Em Castelo Branco a empresa mais exportadora no ano em análise foi também a maior do distrito, já que a Celtejo registou um volume de vendas ao exterior que ultrapassa os 82,7 milhões de euros, seguida da Frulact com mais de 53,3 milhões de euros.
O fabricante de preparados de fruta sediado no Tortosendo (Covilhã) ocupa o sexto lugar do ranking com um volume de negócios superior a 57,8 milhões de euros. São mais 39,3 milhões que o data center da PT, que terminou o ano com um resultado de pouco mais de 18,5 milhões de euros e um lucro de 169.103 euros. No Fundão o destaque vai para a Unitom, produtora e comercializadora de concentrados de fruta e tomate, que é a 12ª com um volume de negócios de cerca de 31 milhões de euros, dos quais mais de 30,9 milhões resultaram da exportação.
No concelho de Belmonte a única representada no ranking é a empresa de confeções Torre, do Colmeal da Torre, no 44º lugar com um volume de negócios de pouco mais de 10,4 milhões de euros. Tal como na Guarda, o maior empregador do distrito de Castelo Branco é a Unidade Local de Saúde com 1.266 trabalhadores. A Entidade Pública Empresarial é também a detentora do maior prejuízo, que ultrapassou os 4,1 milhões de euros em 2018.

Sobre o autor

Jornal O Interior

Deixar uma resposta