À Beira da Mesa

Por Entre Portas de modernidade e boa comida

Um restaurante tem de ser, em primeiro lugar, a comida! Mas um restaurante pode ser boa comida e ser muito mais do que isso: pode ser gastronomia, sabores, ambiente, simpatia no atendimento e arquitetura – funcional, estética e bom gosto. A simbiose entre o espaço e a comida é o melhor de dois mundos, o mundo da arquitetura e o mundo da gastronomia, do saber servir, da satisfação do cliente. Nem sempre é possível, e mesmo assim um restaurante «é comida», porque degustar uma boa refeição, ter o prazer de comer, é a missão de uma boa cozinha e a ambição de qualquer cliente.
É esta a sensação que se vive em Pinhel, no restaurante Entre Portas. Porque «os olhos também comem» e a primeira impressão conta. E conta muito! No centro da cidade, entre o Município e o Posto de Turismo (dois edifícios exemplarmente recuperados e devidamente enquadrados), paredes meias com o Museu Municipal, junto à “Casa Grande” (que já foi Paços de Concelho e espera “um novo futuro”), o Entre Portas abriu há dois anos para encher o palato dos amantes da boa gastronomia e da moderna restauração na “cidade falcão”. Numa casa reconstruída a pensar nas pessoas, com muito granito e madeira, mas também com muita luz natural e janelas com vistas aprazíveis sobre a cidade. No Entre Portas há espaço para sentir a cidade, para respirar a tradição, mas essencialmente para sentir a modernidade e a urbanidade na Beira Alta.

As bruschetas de queijo da serra salteado de cogumelos e mel Encostas do Côa (7,5€) ou o Ovo escalfado com molho de cogumelos selvagens e foie gras e estaladiço de pão de centeio (7€) são as entradas recomendadas. Ou a sopa, um creme de abóbora com laranja, morcela de Pinhel e amêndoa (3,8€). Entre os pratos de peixe, recomenda-se o Bacalhau à Lagareiro (15,5€) ou o Sashimi de Atum com crosta de amêndoa e sésamo (15€), uma agradável surpresa. Nos pratos de carne, a Posta de Vitela sobre salteado de grelos e batata de forno (16€) ou a Bochecha de Porco confitada e esmagada de favas com alheira de caça (13,5€) estão entre os mais requisitados, mas também se recomendam os Secretos com batata doce e puré de maçã (a maçã de Pinhel é especialmente fresca) (12,5€). Os vegetarianos não foram esquecidos no Entre Portas e o Risotto de cogumelos é uma boa opção. Os preços praticados estão num patamar médio, o normal para a categoria, ainda que o preço do menu infantil (9€) esteja acima do habitual.
Para regar a boa comida há uma boa carta de vinhos, com destaque para os vinhos da Beira Interior, podendo optar-se por um copo de Celebração 65º, da Adega de Pinhel, porventura a melhor relação preço-qualidade dos vinhos portugueses, ou aventurar-se por entre o Aforista Reserva 2013 ou o Casas Altas 2016 – três tintos que combinam muito bem com os pratos referidos e que podem fechar um bom repasto fora de portas, no Entre Portas, de Pinhel.

https://abeiradamesa.home.blog/

Sobre o autor

Luís Baptista-Martins

Deixar uma resposta