Região

Manteigas «está na moda» e promove-se na Expo Estrela

Escrito por Luís Martins

Mostra de atividades económicas do concelho serrano decorre no fim de semana do Carnaval

Cinquenta expositores vão participar na 27ª edição da Expo Estrela, que terá lugar em Manteigas no fim de semana do Carnaval para dinamizar a economia local e promover o município numa altura do ano muito procurada pelos turistas.
De 22 a 25 de fevereiro, a praça municipal será palco de uma mostra de artesanato, gastronomia, comércio, indústria, serviços e animação a cargo de grupos locais e da região bem como a atuação de DJ’s. Os cabeças de cartaz deste ano são Matias Damásio (dia 23), Anjos (dia 24) e Cláudia Martins e Os Minhotos Marotos (dia 22). No domingo Gordo haverá ainda uma caminhada de 13 quilómetros entre as Penhas Douradas e a vila, enquanto na terça-feira terá lugar uma prova de queijo Serra da Estrela e o tradicional desfile de Carnaval. «A Expo Estrela tem um orçamento total de 101 mil euros, mas é um evento com muita qualidade, que não fica nada a dever àquilo que se vê noutros municípios», sublinhou Esmeraldo Carvalhinho, presidente da autarquia, na sexta-feira na apresentação do certame.
Na ocasião, o autarca considerou que Manteigas «está na moda e voltou a ter autoestima» graças ao crescimento exponencial do setor turístico nos últimos anos. «Este ano teremos mais de 750 camas com a abertura dos hotéis Vila Galé e Santa Luzia. É um número fora do vulgar e que nos coloca à frente de municípios muito maiores», reconheceu o edil, para quem o potencial do concelho está «nas paisagens, nos trilhos e no património natural ímpar que o estatuto de “coração” da Serra da Estrela nos proporciona». Esmeraldo Carvalhinho revelou que, entre 2014 e 2018, segundo dados do INE, o município cresceu «90,63 por cento em dormidas, o que é muito superior à média nacional, e 89 por cento em termos de hóspedes. Já os proveitos subiram 79 por cento neste período, ou seja, mais de 2,6 milhões de euros».
Na sua opinião, o turismo é «cada vez mais a alavanca» do desenvolvimento de Manteigas, onde «não é fácil fixar investimentos noutras áreas, nem há terrenos disponíveis para isso». O autarca aproveitou ainda a presença dos jornalistas para reconhecer que «há neste momento alguma dificuldade para encontrar casas para arrendar», mas esclareceu que a situação deve-se aos operários que estão a trabalhar nas obras, nomeadamente no hotel do grupo Vila Galé. «Estamos a terminar o diagnóstico e a estratégia de habitação no concelho e quando isso acontecer poderemos avançar para a reabilitação de edifícios, com apoios de várias fontes de financiamento, e colocá-los novamente no mercado», adiantou o presidente do município serrano.

Sobre o autor

Luís Martins

Deixar uma resposta