Cultura

“Praça Nova” «não quer competir com nada»

Escrito por Jornal O Interior

A “Praça Nova”, editada pela Sociedade de Empreendimentos Cine-Teatro da Guarda surge «a partir de uma tertúlia de amigos», adianta João Mendes Rosa, que, em conjunto com António Godinho Gil e Maria Afonso, são responsáveis pela coordenação editorial da nova revista «literária, mas também artística» da Guarda.
Na apresentação do primeiro número, que decorreu na sexta-feira, o coordenador salientou a vontade de «formalizar uma tertúlia de amigos» que deu origem a uma publicação que «vive por si e não quer competir com nada», acrescentou o também diretor do Museu da Guarda, explicando que, primeiro, «a revista corporizou-se, o nome só veio depois». Na sessão participou também o cientista Fernando Carvalho Rodrigues, que não poupou elogios à nova publicação, afirmando que possui uma produção «muito cuidada e um conteúdo muito variado», ressalvando ainda que «se esta obra for bem guardada e divulgada vai ter um enorme impacto na confiança das pessoas». A “Praça Nova” terá periodicidade semestral e pretende ser mais um contributo para a candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura 2027.
O primeiro número da revista contou com 77 colaboradores, que concretizaram as cerca de 200 páginas, divididas entre poesia, ensaio, conto e portfólio. O preço de capa é 10 euros e a revista está à venda nas livrarias e quiosques da Guarda. Para o Verão estão previstas apresentações da “Praça Nova” em Coimbra, Lisboa, Porto, Salamanca e Madrid (Espanha).

Sobre o autor

Jornal O Interior

Deixar uma resposta