Sociedade

Desbloqueado impasse na manutenção dos jardins na Guarda

Escrito por Luís Martins

Acabou impasse no tratamento dos jardins. Executivo adjudicou manutenção dos espaços verdes à AgroPortugal por 231.496 euros, mais IVA

Na segunda-feira o executivo ratificou a proposta de adjudicação de aquisição de serviços de manutenção de espaços verdes à AgroPortugal, de Aguiar da Beira, por 231.496 euros, acrescidos de IVA. A deliberação coloca um ponto final no impasse que se vivia nesta área devido à reclamação da SDRC, Lda., e que impediu o tratamento de jardins e rotundas nos últimos meses, o que levou a que muitas flores murchassem, conforme noticiou O INTERIOR (ver edição de 25 de julho).

A empresa vencedora do concurso começará a «tratar todos os espaços verdes e a plantar flores da época logo após a assinatura do contrato de adjudicação», disse o presidente da Câmara. Também Eduardo Brito espera que a manutenção das áreas verdes da cidade seja «retomada rapidamente». O executivo deliberou, também por unanimidade, que o município atribua apoios económicos a cerca de 1.350 alunos do 1º Ciclo do Ensino Básico, público e particular, no próximo ano letivo. A ajuda consiste na oferta dos livros suplementares de fichas a todos os estudantes deste nível de ensino e um apoio monetário para a aquisição de material escolar a quem está no escalão A e B da Ação Social Escolar. Segundo a autarquia, o valor estimado de investimento nesta área rondará os 65 mil euros.

Câmara negocia locomotiva e carruagem para rotunda da Estação

Na mesma sessão, a Câmara aprovou, por unanimidade, a rescisão do contrato de depósito da locomotiva CP 1505 (Alco RSC 3), de 1948, inicialmente prevista para instalar na rotunda entre as Avenidas de São Miguel e da Estação, na Guarda-Gare. Já os pontos referentes às minutas do contrato de depósito para uma locomotiva 1453 e de outro de compra e venda de uma carruagem Schindler foram dois pontos retirados da ordem do dia por o município estar em negociações com a EMEF, disse Carlos Chaves Monteiro.
«Estamos a tentar melhorar as condições para trazer a locomotiva e aquela carruagem para a Guarda», justificou o presidente da Câmara, adiantando que a locomotiva Alco está em vias de classificação como de interesse público e já não virá. «A alternativa é a máquina 1453, mais recente, e uma carruagem Schindler, só que ambas têm que ser pintadas e tratadas por causa dos grafitis e de alguma ferrugem, encargos que terão de ser suportados pela autarquia», disse o edil. O município terá ainda que custear o transporte, o seguro deste material, bem como o valor residual de IVA. «A locomotiva e a carruagem virão a custo zero», reiterou o autarca, que espera ver este processo concluído «rapidamente».

A reunião do executivo ficou ainda marcada pela tomada de posse de Ana Cristina Marques como vereadora do PS na Câmara da Guarda, na sequência da demissão de Pedro Fonseca. Veja a notícia completa aqui

Sobre o autor

Luís Martins

Deixar uma resposta