Economia

Governo apoia até 4.800 euros quem vier trabalhar para o interior

Escrito por Luís Martins

Os trabalhadores que decidam mudar-se para o Interior do país ou os estudantes que estejam a terminar a formação e queiram iniciar a sua vida profissional nestes territórios vão contar com um mecanismo de apoio financeiro direto, gerido pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional.

Segundo adiantou à TSF a ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho, o programa “Trabalhar no Interior” arranca com um valor base de 2.600 euros, podendo atingir o máximo de 4.827 euros mediante as despesas de instalação e transporte e o número de membros do agregado familiar. Os estágios profissionais no interior terão também uma majoração de 10 pontos na comparticipação da bolsa pelo IEFP, assim como a majoração em 20% do prémio-emprego (conversão do contrato de estágio em contrato sem termo). 

Entre as várias linhas de financiamento está a comparticipação, durante três anos, no salário dos trabalhadores para empresas do interior que criem novos postos de trabalho, no âmbito de um novo aviso “+ Coesão Emprego”, um programa gerido pelo Ministério da Coesão Territorial que apoia o pagamento de salários por parte de empresas que contratem no interior.

O aumento do valor das bolsas de estágio e do apoio aos migrantes que queiram regressar e fixarem-se no interior são outros dos apoios previstos pelo Governo que quer, assim, criar melhores condições para quem queira viver e trabalhar no interior. Estas medidas fazem parte do programa de incentivos à criação de emprego no interior “+GO3SO Emprego” que vai ser apresentado esta segunda-feira, em Bragança.

Sobre o autor

Luís Martins

Deixar uma resposta