Sociedade

Terminou greve dos motoristas de matérias perigosas

Escrito por Luís Martins

O Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) e a Associação Nacional de Transportadores Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM) chegaram a acordo, o que coloca um ponto final na greve que estava a afetar a distribuição de combustíveis em todo o país.

Esta manhã, o ministro Pedro Nuno Santos revelou que as partes entenderam-se para se sentarem à mesa, a 29 de abril, e iniciarem processo negocial até ao fim do ano. Numa declaração aos jornalistas, o governante explicou que «a normalização» do abastecimento será gradual. «Há um processo de reorganização que levará tempo», reconheceu o ministro das Infraestruturas.

Estão reunidas «todas as condições para que a normalidade seja reposta», embora isso não aconteça de forma imediata, tendo em conta a «situação de rutura em vários postos de abastecimento», acrescentou Pedro Nuno Santos. 

Com este acordo fechado, o ministro dirigiu palavras aos vários atores nesta crise: aos trabalhadores, que «tiveram uma importante vitória», ao fazerem-se ouvir para «dignificar» a sua carreira; ao sindicato, que «foi sempre leal e correto» com o Governo; à ANTRAM, pela «forma aberta e empenhada» em garantir serviços mínimos e chegar a acordo; às empresas, pelo «papel muito importante» durante a crise; aos portugueses, que viveram «três dias difíceis», de «incerteza», «de alguma insegurança até».

Pedro Pardal Henriques, advogado, falou também em representação do sindicato dos motoristas de matérias perigosas, congratulando-se com a conclusão da greve. «Foram 72 horas duras», admitiu, acrescentando que o facto de se ter chegado a uma solução de forma rápida foi «um feito histórico». Pardal Henriques explicou que terão agora início as negociações com a ANTRAM sob supervisão do governo e que o objetivo é fechar um acordo coletivo de trabalho até ao final do ano.

O responsável referiu ainda que a greve foi desconvocada por dois motivos: a garantia de ANTRAM e Governo de dar início à negociação do contrato coletivo de trabalho e também o facto de ter sido prometido pelas partes um desfecho até ao final do ano. A primeira reunião negocial realizar-se-á já no próximo dia 29 de abril.

A greve dos motoristas de matérias perigosas começou às 00.00 de segunda-feira e foi convocada pelo SNMMP, por tempo indeterminado, para reivindicar o reconhecimento da categoria profissional específica.

Sobre o autor

Luís Martins

Deixar uma resposta