Sociedade

Rotunda está pronta, mas locomotiva está atrasada

Escrito por Luís Martins

Câmara da Guarda está a preparar protocolo com a CP para o transporte e colocação de máquina dos anos 60 na rotunda junto ao Parque Urbano do Rio Diz

As obras de requalificação da rotunda entre a Avenida de São Miguel à Avenida da Estação, na Guarda, estão concluídas e à espera da célebre locomotiva. A máquina dos anos 60, a gasóleo, será instalada sobre os carris, mas a autarquia ainda não sabe quando vai chegar.
«Estamos a preparar o protocolo com a CP e o transporte para a colocação da referida locomotiva, É um processo burocrático que está para ser resolvido com a empresa e logo que o esteja e o transporte estiver assegurado, ela será colocada de imediato, bem como uma carruagem», adiantou Carlos Chaves Monteiro a O INTERIOR. O presidente do município acrescenta que inicialmente a Câmara tentou a cedência de uma locomotiva do início do século passado, a carvão, como a BA 101 instalada em Vilar Formoso, mas essa solução acabou por não acontecer porque a mesma teve outro destino. «A máquina que vem para a Guarda não pressupõe custo nenhum para o município porque é cedida ao abrigo de um acordo de comodato. Havia a hipótese da aquisição, mas não temos interesse nela, sempre foi assim desde a primeira hora», esclarece Chaves Monteiro.
As contrapartidas assumidas pela Câmara são as despesas com a manutenção e conservação da máquina. «É o único custo que teremos com a locomotiva, além da despesa com o seu transporte do Barreiro para a Guarda e a colocação na rotunda. Não temos nem mais um euro de despesa nesta matéria, fui eu que acertei isso», sublinha o edil, que ainda não tem data para a chegada da antiga máquina da CP. Este é o adorno mais impactante na rotunda requalificada na zona Estação, junto ao Parque Urbano do Rio Diz. A empreitada foi adjudicada por 349.900 euros, mais IVA, à segunda tentativa à empresa António Saraiva e Filhos em janeiro de 2018. O primeiro concurso público, com um preço-base de 438 mil euros, mais IVA, ficou deserto e obrigou à readaptação do projeto de forma a reduzir o custo previsto, uma opção que resultou.
A intervenção consistiu no arranjo das zonas envolventes e da plataforma central da rotunda, onde ficará uma locomotiva ALCO RSC 3, cujos primeiros anos de circulação remontam ao pós IIª Guerra Mundial. Retirada de circulação desde 2000, a máquina virá para a Guarda através de um contrato de cedência por parte da CP, primeiramente durante 10 anos e depois renovável a cada cinco.

Sobre o autor

Luís Martins

Deixar uma resposta