Sociedade

12 empresas distinguidas com Prémio PME Excelência no distrito

Escrito por Jornal O Interior

O galardão atribuído pelo IAPMEI e Turismo de Portugal destaca a qualidade do desempenho económico-financeiro das Pequenas e Médias Empresas portuguesas.

Atualmente, a Guarda possui 78 empresas classificadas como PME Líder, um estatuto atribuído às organizações com base na validade das suas certificações, cumprimento de requisitos legais e estabilidade financeira, das quais 12 foram destacadas como PME Excelência 2018, por se destacarem na componente financeira.
No distrito de Castelo Branco há 23 entidades com o Estatuto PME Excelência, sete das quais no concelho da Covilhã e cinco no Fundão. As empresas que conquistaram a distinção no concelho da Guarda são a Nobre & Marques (transportes rodoviários e mercadorias) e a João Tomé Saraiva – Sociedade de Construções Lda. (obras públicas). Em Trancoso foram galardoadas a Lacticôa, Lda (indústria de leite e derivados) e a F.F.R.-Construções, Lda (construção civil). Em Seia, as empresas Climaserra-Comércio de Ar Condicionado e Equipamento Hoteleiro, Lda e a Queijos Tavares, S.A. são também PMEs Excelência. A Farmácia Central do Sabugal, a Solicel – Sociedade do Centro Industrial de Esteios de Lousa, Lda (empresa de extração de ardósia) e a C.A.R.M. Casa Agrícola Roboredo Madeira S.A, ambas no munícipio de Vila Nova de Foz Côa, e ainda a Top Trans Transitários, Lda., empresa de transportes em Celorico da Beira são outras das distinguidas com este estatuto.
Além destas, destacam-se ainda a Plateia Troféu Unipessoal Lda e a Transportes Caramelo, Lda, duas companhias de transportes rodoviários e de mercadorias, localizadas no concelho de Almeida. No seu conjunto, estas empresas do distrito da Guarda são responsáveis por um total de 416 postos de trabalho e por um volume de negócios superior a 46 milhões de euros, o que representa um crescimento médio de 18,7 por cento em relação ao ano anterior, adianta o IAPMEI. A maioria das empresas classificadas são de pequena dimensão (10 empresas), correspondendo a 83 por cento do total. Já as empresas de média dimensão representam 17 por cento (2 empresas).
«Com um ativo líquido global de aproximadamente 45 milhões de euros (44 860 546€), as PME Excelência 2018 deste distrito apresentaram uma autonomia financeira média de 55,8 por cento e níveis de rendibilidade dos capitais próprios de 20,2 por cento», acrescentam os promotores. Na Covilhã, as firmas com a distinção PME Excelência são a C.RP. -Comércio e reciclagem de produtos Lda. (revestimento de pavimentos e paredes), Dias & Pereira dos Santos, Lda (panificação), Haco-Etiquetas S.A. (etiquetas têxteis), Jaime Alberto Lda (comércio por grosso). Além destas figuram ainda a empresa M 2000 Gestão de Restaurantes Lda, a Noberto & Duarte, Lda (exploração florestal) e a Pontinho Certo, Lda (que comercializa por grosso produtos de limpeza), que também receberam o estatuto. No Fundão a Cubimatéria-Polimentos, Unipessoal Lda (que trabalha o tratamento e revestimento de metais), a Farmácia Vitória Fundanense, Lda., Hotelaria e Turismo “O Alambique de Ouro”, Lda, estão entre a lista de distinguidos, juntamente com as companhias Frutas João Veríssimo Mendes e Filho, Lda, e a J3LP-Fabrico de Produtos Metálicos Lda.
No que toca à distribuição geral, as empresas premiadas estão localizadas em todos os distritos do país, sendo a zona de maior concentração a região de Lisboa, onde se encontram 509 organizações. Segue-se o distrito do Porto com 436 empresas, Aveiro com 276, Braga possui 240 empresas. De acordo com Nuno Mangas, Presidente do IAPMEI, «as PME Excelência são empresas financeiramente robustas, que apresentam um elevado padrão competitivo, assente em estratégias de inovação e internacionalização, desempenhando um papel de grande relevância ao nível do emprego e do desenvolvimento local e regional.»
O Estatuto PME Excelência foi atribuído numa gala realizada ontem em Braga. A distinção em causa é atribuída tendo em conta critérios que avaliam fatores como a autonomia financeira, a rentabilidade líquida do capital próprio, o crescimento do volume de negócios, entre outros indicadores financeiros.

Sobre o autor

Jornal O Interior

Deixe comentário