Região

Autoestrada A25 concluída em agosto de 2020

Escrito por Luís Martins

Infraestruturas de Portugal consignou na segunda-feira a construção do último troço da A25 entre Vilar Formoso e a fronteira

A autoestrada A25, que liga Aveiro à fronteira de Vilar Formoso, deverá ficar concluída em agosto do próximo ano com a construção dos últimos 3,5 quilómetros de ligação à A62 – Autovia de Castilla, do lado espanhol. A empreitada deste troço do antigo IP5 foi consignada na segunda-feira pela Infraestruturas de Portugal (IP) à Conduril e representa um investimento de 13,2 milhões de euros.
Segundo a IP, a obra, aguardada há mais de uma década, vai contribuir para a «melhoria da ligação rodoviária com a Europa». A via terá perfil de autoestrada e ligará à A62 junto a Fuentes de Oñoro, estando prevista a reformulação do atual nó da vila de Vilar Formoso, no concelho de Almeida. A intervenção, que tem um prazo de execução de 450 dias, contempla ainda, entre outros trabalhos, a construção de um viaduto com 330 metros de extensão sobre a ribeira de Tourões, a realização de dois ramos de acesso ao nó de Fuentes de Oñoro, a criação de duas rotundas e de sete restabelecimentos que assegurarão a ligação com a rede viária local. A IP acrescenta que esta empreitada irá permitir a conclusão da autoestrada A25, ligando o porto de Aveiro a Espanha através de autoestrada, e «assegurar ao tráfego de longo curso, sobretudo de veículos pesados, uma via mais eficiente, com melhores condições de comodidade e de segurança na ligação com a Europa».
A ligação direta ao país vizinho está a causar apreensão em Vilar Formoso, cuja população e comerciantes receiam ficar a ver os carros passar ao lado da vila fronteiriça. Os malefícios do chamado “efeito túnel” da autoestrada já tinham sido lembrados pelo presidente da Câmara de Almeida na cerimónia de assinatura do contrato de empreitada, em novembro passado, onde marcaram presença o primeiro-ministro António Costa e o então ministro do Planeamento Pedro Marques. Na ocasião, António Machado lamentou que esta ligação seja um «problema para as nossas povoações» e reclamou a requalificação do parque TIR e a construção de uma «ligação direta» a Vilar Formoso, lembrando que do outro lado da fronteira, Fuentes de Oñoro vai ter essa ligação. O edil pediu ainda um serviço de apoio ao viajante, ao transporte e à logística na vila fronteiriça.
Também o presidente da Junta de Freguesia de Vilar Formoso disse na altura a O INTERIOR que esta obra é vista com «preocupação» pelo futuro da economia local. «A população e os comerciantes esperam alguma coisa em troca», disse Manuel José Gomes, que também defende que o Parque TIR «seja tido em conta de uma vez por todas», pois carece de iluminação e casas-de-banho, «uma situação vergonhosa». Já Pedro Marques deixou a promessa, «em nome do Governo», que seriam encontradas «boas soluções» através de um trabalho com a Câmara de Almeida e a Junta de Freguesia de Vilar Formoso. Mas seis meses depois tudo continua na mesma.

Sobre o autor

Luís Martins

Deixar uma resposta