Região

Trancoso será capital europeia da castanha em setembro

Escrito por Jornal O Interior

Trancoso vai ser a capital da castanha nos dias 12 e 13 de setembro ao acolher o Xº Encontro Europeu da Castanha, para o qual são esperados mais de 250 congressistas vindos de Espanha, França, Itália e Portugal.
A iniciativa vai decorrer no pavilhão multiusos e é organizada pela Associação Portuguesa da Castanha (RefCast), em conjunto com os municípios de Trancoso e de Penedono, que recebe o encontro na tarde do dia 13 e no último dia, a 14 de agosto. De acordo com a RefCast, que está sedeada na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), estes municípios são dois dos maiores produtores nacionais de castanha DOP Soutos da Lapa e durante três dias irão reunir especialistas, técnicos, produtores, comercializadores e dirigentes associativos para debater os temas em destaque neste setor. Estão igualmente previstas visitas técnicas a soutos, cooperativas de produtores e empresas que se dedicam à transformação e comercialização da castanha.
Este ano serão abordadas, entre outras temáticas, as podridões e pragas da castanha, «na sequência dos impactos da presença da vespa das galhas do castanheiro nos soutos europeus», referem os promotores no seu site. «Trancoso vai ganhar muito com este encontro, primeiro porque o concelho terá mais divulgação a nível europeu, e depois porque se traduzirá em mais conhecimentos técnicos para os nossos produtores», considera o presidente da autarquia. Amílcar Salvador recorda que a castanha é uma fileira importante no concelho que a autarquia «acarinhou desde a primeira hora, pois estava um pouco envergonhada». Para tal, celebrou um protocolo com a UTAD para «trabalhar com os nossos produtores na melhoria da castanha e dos soutos», refere o edil, sublinhando que o setor agropecuário é «uma área prioritária» para o executivo.
Atualmente, o concelho conta com cerca de 900 produtores e integra a região demarcada com a denominação de origem protegida (DOP) Soutos da Lapa. Trancoso é um dos cinco maiores produtores do país, gerando uma faturação que ronda os 4,5 milhões de euros, e desde 2013 é palco da Feira da Castanha e Paladares de Outono, que tem vindo a transformar-se num dos mais importantes certames dedicados a este fruto no distrito da Guarda. Já a parceria com a UTAD foi recentemente renovada até 2023 e vai resultar na implementação do “TRANCASNUT” e na criação de castanheiros in vitro. O primeiro projeto visa a melhoria do castanheiro e da castanha no concelho através de dois campos experimentais, um dos quais é um souto em que os produtores vão poder acompanhar todo o processo necessário para obter uma boa produtividade.
Já a micropropagação in vitro de castanheiros vai revolucionar esta cultura, pois vai gerar árvores com excelentes condições fitossanitárias, que não terão doenças e o seu preço vai baixar rapidamente porque a produção é rápida e em pouco espaço. Nos primeiros três anos de vigência do acordo com a UTAD, que representa um investimento de 110 mil euros – cerca de 22 mil euros por ano –, foram plantados 4.000 novos castanheiros, sendo que o objetivo é plantar 14 mil árvores. O Encontro Europeu da Castanha regressa este ano a Portugal, onde já foi realizado em 2010 (Bragança) e 2015 (Vila Pouca de Aguiar e Valpaços).

Sobre o autor

Jornal O Interior

Deixar uma resposta