Sociedade

GNR da Guarda comemorou aniversário no Sabugal

Em 2018 a criminalidade no distrito da Guarda «baixou 12,6 por cento», diz Antero Luís

As comemorações do 11º aniversário do Comando Territorial da Guarda da GNR decorreram esta tarde na cidade do Sabugal. Apesar do tempo húmido tudo correu conforme planeado. A partir das 14h30, no Largo da Fonte, a parada foi formada por militares da GNR e um batalhão da Guardia Civil de Espanha, que assim se associou às celebrações da GNR da Guarda.  

Após agradecer a colaboração da autarquia, o Comandante do Comando Territorial da Guarda, Coronel Luís Cunha Rasteiro, recordou que Portugal é um dos países «mais seguros do mundo», acentuando também «a redução de criminalidade» na região.

Cunha Rasteiro elencou algumas medidas, ações e programas «para uma resposta mais eficaz» por parte da GNR, e considerou que a sinistralidade rodoviária e o combate à violência doméstica são prioridades no trabalho da instituição, recordando que «o patrulhamento de proximidade» – e em breve a teleassistência – são o caminho para o melhor desempenho das funções.

Cunha Rasteiro apresentou ainda alguns dados sobre a descida da criminalidade no distrito da Guarda, mas asseverou que «mais do que os números é o reconhecimento da nossa atividade» que o faz sentir orgulhoso do trabalho do Comando de que é responsável. E recordou os que «ao serviço da GNR» caíram no exercício das suas funções ou correram «risco de vida», apresentando o «devido reconhecimento do Vosso Comandante».

A cerimónia foi presidida pelo Secretário de Estado Adjunto e da Administração Interna, o Juiz Desembargador Antero Luís, que dissertou sobre a criminalidade em Portugal, concluindo que, apesar dos resultados da região estarem acima da média nacional, é possível aumentar a eficácia», sendo para isso necessário «dotar as autoridades dos meios necessários» a um melhor desempenho.

Neste contexto, Antero Luís assegurou o compromisso do Governo com o Comando Territorial da Guarda, nomeadamente as obras do novo quartel, que devem ficar concluídas em 2021. 

Depois, houve ainda tempo para impor condecorações e homenagear militares falecidos no desempenho das suas funções, terminando a cerimónia com um desfile das forças em parada.

 

Sobre o autor

Luís Baptista-Martins

Deixar uma resposta