Sociedade

Condenado a 19 anos de prisão homem que matou ex-namorada à facada no Fundão

O Tribunal de Castelo Branco decidiu esta quinta-feira condenar a 19 anos de prisão João Silva, o homem que estava acusado de assassinar Vera Lopes, a sua ex-namorada, na aldeia de Aldeia Nova do Cabo, no Fundão. O arguido ficou ainda obrigado ao pagamento de uma indemnização de 150 mil euros.
A defesa do homicida confesso alegou que este agiu sob um «surto psicótico» e pediu que o crime fosse considerado homicídio privilegiado, punido com uma pena não superior. No entanto não foi esse o entendimento do coletivo de juízes, que considera tratar-se de um homicídio qualificado, dando como provado que o homem agiu com frieza de ânimo, devido ao número de facadas desferidas na vítima, um total de 85, e pelo facto de a seguir ter procurado esconder alguns vestígios do crime.
Já o advogado de defesa disse estar a ponderar recorrer: «A pena, embora se situe na média entre o limite mínimo e máximo da moldura penal do crime de homicídio qualificado, é excessiva. Deveria ser, mesmo com esta qualificação jurídica que eu considero incorreta, muito próxima do mínimo».
O crime ocorreu em março do ano passado. Vera Lopes foi assassinada em casa, onde estava um dos seus três filhos menores, depois de ter pedido a João Silva que ali se deslocasse para discutirem o fim da relação entre ambos, que durou três anos. A vítima foi atingida com pelo menos 85 facadas em várias partes do corpo.

Sobre o autor

Ana Eugénia Inácio

Deixe comentário