Região

Escolas de Figueira de Castelo Rodrigo e das Lameirinhas são “Amigas da Criança”

Escrito por Luís Martins

O Agrupamento de Escolas de Figueira de Castelo Rodrigo e a EB1 das Lameirinhas, na Guarda, foram distinguidas com o selo “Escola Amiga da Criança”, na primeira edição desta iniciativa da Confederação Nacional das Associações de Pais (CONFAP), da LeYa e do psicólogo Eduardo Sá.

O estabelecimento de ensino de Figueira de Castelo Rodrigo venceu com o projeto “O Livro que Anda”, na categoria Envolvimento da Família e Comunidade Educativa, e outro com “Mentes sossegadas! Mindfulness na educação”, na categoria Formação Cívica. O primeiro teve como objetivo promover o gosto pela leitura e aumentar a velocidade e compreensão da leitura nos alunos do pré-escolar e primeiro ciclo. «Cada aluno levava um livro para a escola, que depois circulava entre todos para ser lido em casa com a família», adianta a escola figueirense.

Já o segundo consistia num exercício de “mindfulness” que procurava tornar os alunos mais calmos, mais atentos e emocionalmente mais equilibrados, potenciando os resultados académicos. Para tal, os professores realizaram pequenos exercícios em sala de aula que ensinavam os alunos a relaxar. Na Guarda, a escola das Lameirinhas, bairro da cidade mais alta, venceu com o projeto “Não falto!”, na categoria Formação Cívica. Tratou-se de um incentivo à assiduidade dos alunos e desenvolvimento do gosto e do interesse pela aprendizagem, mediante a participação em diversos ateliês. A atividade contribuiu também para a inclusão social dos alunos.

O selo “Escola Amiga da Criança” distingue as escolas que concebem e concretizem ideias extraordinárias para um desenvolvimento mais feliz da criança no ambiente escolar. A segunda fase da iniciativa tem candidaturas abertas até 5 de abril, nas seguintes categorias: Alimentação, Saúde e Ambiente; Cidadania, e/ou inclusão; Digital; Envolvimento família/comunidade; Espaços Escolares; Segurança; e Atividades extracurriculares e/ou interdisciplinares.

Sobre o autor

Luís Martins

Deixar uma resposta