Região

Centro 2020 apoia seis empresas da região com 2,6 milhões de euros

Escrito por Jornal O Interior

Incentivos vão chegar a quatro empresas da Covilhã, uma de Figueira de Castelo Rodrigo e outra de Seia

Seis empresas das Beiras e Serra da Estrela, quatro das quais da Covilhã, vão ser apoiadas com mais de 2,6 milhões de euros pelo Programa Operacional do Centro – Centro 2020.
Segundo a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC), a têxtil Fitecom candidatou a introdução de inovações em produtos e processos com um investimento total que ultrapassa os 2,4 milhões de euros. O projeto obteve um incentivo de 671.361,63 euros, o maior deste lote de candidaturas da região. O segundo apoio mais elevado foi concedido à Mystic Adventure, de Figueira de Castelo Rodrigo. A empresa vai investir mais de 3,9 milhões de euros num «novo conceito de turismo histórico-cultural, autêntico e diferenciador» e conseguiu 555.691,59 euros para o concretizar. De Seia é a H.S.A.R.A.H TRADING, Unipessoal Lda., que candidatou o projeto “Reciclar +”, com um investimento total de mais de 1,3 milhões de euros e viu ser aprovado um financiamento de 368.016 euros
Os restantes três projetos são da Covilhã, onde o grupo hoteleiro R.M.P.Z. candidatou mais de 1,5 milhões de euros para a alteração global do Hotel Santa Eufémia e conseguiu um incentivo de 497.866,33 euros. A um pouco menos terá direito a Ropre, que viu aprovado um apoio de 401.208,40 euros para um projeto de automatização de processos que representa um investimento total superior a 1,4 milhões de euros. Finalmente, as Confeções Lança candidataram o plano de crescimento sustentável da empresa, num investimento total de 592.376 euros, e obtiveram um apoio de 158.778,40 euros. De acordo com a CCDRC, o Centro 2020 selecionou 171 projetos empresariais que representam um investimento de 304 milhões de euros e receberam um apoio comunitário de 74 milhões de euros.
Tendo em conta as novas regras em vigor para os apoios às empresas para inovação produtiva do Portugal 2020, o incentivo não reembolsável é dado à cabeça, com fundos europeus, e, em complemento, a banca cede a vertente reembolsável através de um empréstimo sem juros. «Estes apoios vêm contribuir para a alteração dos padrões de especialização das empresas da região, permitindo-lhes entrar em atividades de maior valor acrescentado da cadeia de valor, o que lhes permite competir com base noutros fatores de competitividade para além do tradicional baixo custo do trabalho», sublinha a presidente do Centro 2020, Ana Abrunhosa, em comunicado. No mesmo documento, a CCDRC revela que, até ao final de junho, no âmbito Compete 2020 e do Centro 2020, foram aprovados 4.199 projetos empresariais na região Centro, que representam um investimento de 3,2 mil milhões de euros e um apoio de fundos europeus de 1.650 milhões.

Sobre o autor

Jornal O Interior

Deixar uma resposta