Política

Pedro Fonseca diz que chumbo da lista do PS às legislativas mostra que «chegou o momento de sair»

Escrito por Luís Martins

Pedro Fonseca, presidente demissionário da Federação do PS, afirmou esta quarta-feira que voltaria a apresentar a mesma lista para as legislativas aos órgãos distritais do partido.

«Agiria da mesma forma porque dialoguei com todas as sensibilidades internas, com a JS, com as Mulheres Socialistas e cumpri as regras estabelecidas pela direção nacional do PS. Os membros da Comissão Política Distrital entenderam que não era a lista adequada, pelo que só tenho que assumir as minhas responsabilidades», disse o dirigente em conferência de imprensa.

Pedro Fonseca admitiu ter ficado «surpreendido» com a votação daquele órgão, que reuniu na noite de terça-feira, pois «contava que a lista fosse aprovada». Sobre a não inclusão de Santinho Pacheco, atual deputado, o socialista respondeu que «nenhum dos eleitos me transmitiu vontade de se recandidatar ao cargo».

O líder demissionário anunciou que José Luís Cabral, vice-presidente da Federação, vai assumir a liderança do partido na Guarda até «novas indicações» da direção nacional.

Na hora da despedida, Pedro Fonseca reiterou que «jamais será um empecilho, um embaraço ou um problema» para o partido e manifestou «total concordância» com a escolha de Ana Mendes Godinho para cabeça de lista na Guarda. 

«É uma pessoa com um trabalho político extraordinário, quer no partido, quer no Governo, e com qualidades humanas unanimente reconhecidas», disse. 

Sobre o autor

Luís Martins

Deixar uma resposta