Política

Ana Mendes Godinho e Ana Abrunhosa: o perfil das novas ministras

Escrito por Jornal O Interior

Quem são as novas ministras do Governo de António Costa, que deverá ser empossado na próxima semana? Conheça os perfis de Ana Mendes Godinho e de Ana Abrunhosa, ambas com ligações ao distrito da Guarda

António Costa, primeiro-ministro indigitado, apresentou esta terça-feira a Marcelo Rebelo de Sousa o seu Governo remodelado para a próxima legislatura. Entre os vários nomes anunciados destaque para Ana Mendes Godinho, ex-secretária de Estado do Turismo e deputada eleita pela Guarda, que será Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social. Outra das novidades foi a nomeação de Ana Abrunhosa, atual presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC), para a nova pasta do Ministério da Coesão Territorial.

Ana Mendes Godinho foi eleita pelo PS na Guarda

Ana Mendes Godinho abandona a pasta dedicada ao turismo e é “promovida” a ministra do Trabalho, rendendo Vieira da Silva, que abandonou a vida política. A candidata do PS pelo círculo da Guarda e eleita deputada nas legislativas de 6 de outubro – que não tem experiência política na pasta que agora assume – foi vice-presidente do Turismo de Portugal e ocupou vários cargos nesta área. Entre os projetos desenvolvidos destaque para o programa “Valorizar” destinado à promoção dos projetos turísticos no interior, bem como o lançamento do programa “Revive”. O seu desempenho nesta área colocou na mesa de António Costa a hipótese de criar um Ministério do Turismo, o que não se chegou a concretizar. Ana Mendes Godinho, de 47 anos, desempenhou também funções de inspetora na Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT) e tem uma pós-graduação em Direito do Trabalho. Tem três filhos, é natural de Lisboa (com raízes familiares em Vila Nova de Foz Côa).

Ana Abrunhosa destacou-se no pós-incêndios de 2017

A Coesão Territorial é uma das novidades no leque dos ministérios apresentados. Esta pasta será liderada pela mulher que esteve à frente dos processos de apoio à reconstrução em locais afetados pelos incêndios de 2017: Ana Abrunhosa. Natural de Angola, mas com raízes familiares na localidade de Poço do Canto (Mêda), a nova ministra de 49 anos estudou no antigo Liceu da Guarda antes de se licenciar e doutorar em Economia pela Universidade de Coimbra. Foi presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC) por nomeação do Governo de Passos Coelho. O seu desempenho ficou marcado pelo processo de recuperação das casas na região Centro após os incêndios de 2017 e foi elogiado por António Costa, que lhe atribui agora uma pasta que já foi denominada anteriormente de Unidade de Missão (da Valorização do Território), e de Secretaria de Estado (com o mesmo nome).
Ana Abrunhosa foi deputada municipal na Mêda, eleita como independente pelo PSD, sendo por isso um dos nomes no Governo externos ao PS. Tem sido presidente da Comissão Directiva do Programa Operacional Regional do Centro desde maio de 2014 e presidente do Comité de Investimento do Instrumento Financeiro para a Reabilitação e Revitalização Urbanas (IFRRU 2020) desde junho de 2016. Contudo, não será o seu ministério que vai tutelar os fundos comunitários. Falta ainda saber se será mantida a Secretaria de Estado da Valorização do Interior, até agora ocupada por João Paulo Catarino e sediada em Castelo Branco.

Sobre o autor

Jornal O Interior

Deixar uma resposta