Última Hora | RSS RSS | Arquivo | Ficha Técnica | Classificados | Inquéritos | Fórum | Futebol | Tempo | Farmácias | Publicidade | Newsletter | Pesquisa Avançada | Contactos | Área de Assinantes
Edição de 12-07-2018
Pesquisa:

Arquivo: Edição de 05-07-2018

Secção: Cara a Cara

Cara a Cara - Gabriel Magalhães
«Gostava que os meus livros ajudassem as pessoas a acreditarem na beleza e na verdade»
Tempo de leitura: 3 m
Bookmark and Share
Aumentar Tipo de LetraDiminuir Tipo de Letra

Gabriel Magalhães
Gabriel Magalhães  Clique na imagem para a aumentar.
P - De que trata a obra “Os Crimes Inocentes”?

R- É u0m romance policial, com uma detetive como protagonista: a Rosarinho do Amaral. Uma mulher, de resto, muito interessante. O enredo, que se deseja trepidante, decorre na cidade de Lisboa, no meio das suas doçuras e dos seus erotismos, num lugar emblemático: o Museu dos Coches. Vão aparecendo pessoas mortas, umas atrás das outras, e Rosarinho tem de descobrir o que se passa, resolver o enigma. Durante essa pesquisa, acaba por se fazer uma radiografia da sociedade portuguesa atual.

P - Qual a sua inspiração?

R- Como se sabe, a inspiração de um escritor costuma ser a transpiração do trabalho quotidiano, constante. De qualquer modo, sempre senti fascínio pelo género policial, que, em termos literários, se revela particularmente complicado. A intriga torna-se uma ourivesaria, uma autêntica filigrana de grande delicadeza. Um bom policial é uma fascinante acrobacia de factos e palavras.

P - Para quem escreve Gabriel Magalhães?

R- Escrevo para pessoas que amam os livros que são luas de ler. Lugares onde se fica a pairar, com vontade de que esse voo, essa flutuação nunca mais acabe. E, depois, quando se volta ao mundo, encara-se a realidade com olhos mais suaves, mais meigos e compreensivos.

P - Qual é a mensagem que pretende passar?

R- Em geral, gostava que os meus livros ajudassem as pessoas a acreditarem na beleza e na verdade. Também no ser humano, apesar dos infernos que as pessoas vão criando. Seria ótimo se o que escrevo pudesse ser como um interruptor que acendesse a luz e ajudasse a acabar com a penumbra contemporânea.

P - Onde podem ser adquiridos os seus livros?

R- Nas livrarias, ou então comprados pela Internet.

P - Pensa já em novas obras?

R- Sim, uma pessoa que escreve espreita sempre dentro de si, à procura dos novos livros que possam estar a germinar no que vamos sentindo e pensando. É algo que se faz sem dar por isso: um pouco como quem respira.

Perfil:

Autor do livro “Os Crimes Inocentes”

Idade: 53 anos.

Profissão: Professor e escritor.

Naturalidade: Luanda

Currículo: Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Português e Espanhol (Universidade de Lisboa); doutorado pela Universidade de Salamanca; foi professor na Universidade de Salamanca e atualmente é docente na UBI.

Livro preferido: Os Evangelhos

Filme preferido: “Sunset Boulevard” (O Crepúsculo dos Deuses), de Billy Wilder

Hobbies: Leitura, cinema, viagens.


Votar:
Resultado:
41 Votos
Imprimir Artigo
Enviar por Email
Comentário Privado
Comentário Publico
Adicionar Favoritos

Diga o que pensa sobre este artigo. O seu comentário será publicado online após aprovação da redacção.

Comentários Nome
Email
Código de VerificaçãoInsira os algarismos da figura
Anónimo
MEO Kanal 401262
© 2009 O Interior | Rua da Corredoura, 80 - R/C Direito C - 6300 Guarda | Telefone geral: 271 212 153 - Publicidade: 271 227 349 - fax: 271 223 222
Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.