Última Hora | RSS RSS | Arquivo | Ficha Técnica | Classificados | Inquéritos | Fórum | Futebol | Tempo | Farmácias | Publicidade | Newsletter | Pesquisa Avançada | Contactos | Área de Assinantes
Edição de 21-06-2018
Pesquisa:

Arquivo: Edição de 07-06-2018

Secção: Cultura

O projeto “Cultura em Rede das Beiras e Serra da Estrela” levará aos municípios da região espetáculos de dança, música e teatro
Municípios das Beiras e Serra da Estrela unidos pela cultura
Por: Sara Guterres
Tempo de leitura: 2 m
Bookmark and Share
Aumentar Tipo de LetraDiminuir Tipo de Letra

O primeiro espetáculo de dança – Ecos do Côa – estreia este sábado (22 horas) em Figueira de Castelo Rodrigo
O primeiro espetáculo de dança – Ecos do Côa – estreia este sábado (22 horas) em Figueira de Castelo Rodrigo  Clique na imagem para a aumentar.
Durante os meses de junho, julho, agosto e setembro, os 15 municípios da Comunidade Intermunicipal Beiras e Serra da Estrela (CIMBSE) serão palco de espetáculos de dança, música e teatro.

Este programa cultural que vai decorrer durante três anos, de forma alternada, surge no âmbito do projeto “Cultura em Rede nas Beiras e Serra da Estrela” e foi apresentado na segunda-feira, em Figueira de Castelo Rodrigo, resultando de uma parceria entre a CIM, a Associação de Municípios da Cova da Beira e as autarquias. “Ecos do Côa” é o primeiro espetáculo de dança, que envolve 38 participantes de cinco municípios – Mêda, Figueira, Pinhel, Trancoso e Almeida –, e estreia sábado (22 horas) no Largo Serpa Pinto, em Figueira de Castelo Rodrigo. Paulo Langrouva, autarca figueirense, considerou que esta iniciativa vai «enriquecer o cartaz cultural de todos os municípios participantes» e ambiciona desenvolver projetos em rede noutras áreas de ação. «Isto enriquece-nos porque estamos a contribuir com um exemplo daquilo que é possível fazer daqui para a frente e podemos cooperar para o desenvolvimento de projetos conjuntos não só na área da cultura, mas também desportivos, artísticos ou de outra índole», sustentou o edil.

Mas o que distingue esta atividade é o envolvimento da população, pormenor que, para o autarca, se refletirá numa probabilidade de sucesso maior: «Este trabalho é gratificante, mas exigente», referiu Paulo Langrouva, acrescentando que também «é um desafio porque envolve as populações, que se sentem valorizadas e integradas nestes projetos». A opinião é partilhada por Rui Ventura, que espera uma «boa adesão». O edil de Pinhel e vice-presidente da CIMBSE sublinhou que o objetivo é «envolver toda a comunidade dos concelhos participantes para que possamos ter um projeto integrado e despertar também a curiosidade daqueles que não estão nestas áreas». Mas nada seria possível sem o envolvimento de três companhias especializadas em cada um dos campos artísticos – a ASTA (Associação de Teatro e Outras Artes) no teatro, a CARB (Cooperativa Artística da Raia Beirã) na dança e a Coruja do Mato na música.

O trabalho de criação artística “Ecos do Côa”, desenvolvido pelo DEMO em coprodução com a CARB, «demorou dois meses a ser implementado» e os ensaios «decorreram na sua maioria» em Pinhel, explicou o coordenador da CARB, Simão Barros. O orçamento previsto para os três anos é de 130 mil euros e o projeto prevê ainda a realização de uma rota de visitas guiadas encenadas, que decorrerão nos períodos de espetáculos e fins-de-semana de julho e agosto.


Votar:
Resultado:
45 Votos
Imprimir Artigo
Enviar por Email
Comentário Privado
Comentário Publico
Adicionar Favoritos

Diga o que pensa sobre este artigo. O seu comentário será publicado online após aprovação da redacção.

Comentários Nome
Email
Código de VerificaçãoInsira os algarismos da figura
Anónimo
MEO Kanal 401262
© 2009 O Interior | Rua da Corredoura, 80 - R/C Direito C - 6300 Guarda | Telefone geral: 271 212 153 - Publicidade: 271 227 349 - fax: 271 223 222
Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.