Última Hora | RSS RSS | Arquivo | Ficha Técnica | Classificados | Inquéritos | Fórum | Futebol | Tempo | Farmácias | Publicidade | Newsletter | Pesquisa Avançada | Contactos | Área de Assinantes
Edição de 11-10-2018
Pesquisa:

Arquivo: Edição de 10-05-2018

Secção: Em Foco

Requalificação do Hotel Turismo em contagem decrescente

O contrato de concessão ao consórcio MRG foi assinado na sexta-feira, em Lisboa, facto que desagradou Álvaro Amaro, que reclama os louros pela reabertura da unidade. Um papel já contestado pelos socialistas. O presidente da Câmara «pode agradecer ao PS» por esta solução, pois «as suas na vigência do Governo de Passos Coelho falharam redundamente», respondeu Pedro Fonseca.

Por: Luis Martins
Tempo de leitura: 5 m
 
Bookmark and Share
Aumentar Tipo de LetraDiminuir Tipo de Letra

Projetado em 1936 por Vasco Regaleira, edifício está devoluto desde 2012
Projetado em 1936 por Vasco Regaleira, edifício está devoluto desde 2012  Clique na imagem para a aumentar.
O Hotel Turismo da Guarda já foi concessionado ao agrupamento de empresas MRG que tem agora quatro anos para abrir uma nova unidade de quatro estrelas. O contrato foi assinado na sexta-feira, em Lisboa, por Luís Araújo, presidente do Turismo de Portugal, entidade proprietária do imóvel, e pelos representantes do consórcio MRG Property e MRG Construction, apanhando todos de surpresa na Guarda.

A começar pelo presidente da Câmara. Para Álvaro Amaro, «não houve respeito institucional» pelo município, nem o Governo teve «a coragem de assinar contrato na Guarda porque o PS tem vergonha do que fizeram no passado e sabe que a solução deve-se à mudança política que houve na autarquia em 2013». O edil garantiu ainda que não permitirá que «se branqueie a história» e reclamou os louros pela reabertura do hotel, devoluto desde 2012. «Este desfecho deve-se a mim e a todos, por isso não deixem que nos tirem esse mérito», afirmou Álvaro Amaro na tomada de posse de Tiago Gonçalves na concelhia do PSD da Guarda. No sábado. os sociais-democratas cerraram fileiras em torno do presidente da autarquia para contestar a forma «vergonhosa e envergonhada» como o atual Governo concluiu um processo «desbloqueado» por Álvaro Amaro, sublinhou Carlos Peixoto, líder da Distrital. Já o novo dirigente concelhio estranhou que as duas concessões anteriores do programa REVIVE tenham sido rubricadas em Elvas e nas Caldas da Rainha: «Porquê procedimentos diferentes para situações idênticas?», interrogou Tiago Gonçalves, que pediu explicações ao PS por este contrato com a MRG ter sido feito «nas costas dos guardenses».

A resposta veio de Pedro Fonseca. Em declarações a O INTERIOR, o presidente da Federação da Guarda desvalorizou a polémica criada pelo PSD dizendo que a assinatura do contrato em Lisboa é o «procedimento normal». E contra-atacou: «Álvaro Amaro está mal informado e assessorado porque nas Caldas da Rainha e em Elvas foram assinados, tal como na Guarda, os memorandos de entendimento. O contrato só foi rubricado na cidade alentejana porque o edifício era propriedade da Câmara, que também lançou o concurso». Pedro Fonseca realça que foi o Governo socialista, «com o contributo do PS da Guarda», que «resolveu o problema que outros atores e partidos que foram poder durante anos não conseguiram solucionar», pelo que não tem dúvidas em afirmar que «foi o PS que devolveu o Hotel Turismo à Guarda». Cáustico, afirma mesmo que «Álvaro Amaro pode agradecer ao PS» a reabertura da unidade, lembrando que as soluções do edil na vigência do Governo de Passos Coelho «falharam redundamente».

Quem também se congratulou com a assinatura do contrato de concessão é Agostinho Gonçalves. O presidente da concelhia socialista da Guarda veio a terreiro, na terça-feira, reiterar que a cidade não foi «desconsiderada», uma vez que «nenhum contrato de concessão, que fosse incumbência da Secretaria de Estado do Turismo, foi assinado na cidade respetiva». Em comunicado, o líder do PS local anuncia ainda que a secretária de Estado Ana Mendes Godinho virá à Guarda para «o assinalar simbólico» do início da requalificação do Hotel Turismo, sem adiantar datas. «Querer fazer de todos os atos uma forma de promoção política, de colagem a soluções que não se apoiavam, é politiquice barata, meros laivos de populismo insignificante, que por objetivo prosseguem conquistas alheias», critica Agostinho Gonçalves, que não alinha em «“números” de oportunismo e “show off” político». «Uns prometem, outros cumprem», constata o socialista.

Hotel concessionado por 50 anos

A concessão do Hotel Turismo é feita por 50 anos, mediante uma renda anual de 63 mil euros, e a recuperação do edifício situado na Praça do Município vai envolver um investimento estimado em 7 milhões de euros que dará origem a uma nova unidade hoteleira de quatro estrelas em 55 por cento, no mínimo, da área bruta de construção.

O futuro hotel, ligado ao tema da neve, terá 50 quartos e outras valências como spa (também acessível aos residentes no município) e restaurante. A unidade terá ainda uma vertente de formação. Para a Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, «este é mais um marco importante no desenvolvimento do programa REVIVE, e que vem resolver uma situação que se arrastava desde 2012», voltando «a dar vida a um imóvel tão importante e emblemático para a Guarda». Projetado em 1936 por Vasco Regaleira, o Turismo é um dos edifícios mais emblemáticos da cidade e está devoluto desde 2012. Um ano antes tinha sido comprado à Câmara pelo Turismo de Portugal por 3,5 milhões de euros. Em 2015 foram lançados dois procedimentos destinados à venda do hotel, em condições que não atraíram interessados, pelo que o atual Governo avançou com a integração do imóvel no REVIVE. O concurso para a requalificação e gestão da unidade guardense foi o terceiro a ser lançado no âmbito daquele programa.


Votar:
Resultado:
42 Votos
Imprimir Artigo
Enviar por Email
Comentário Privado
Comentário Publico
Adicionar Favoritos

Diga o que pensa sobre este artigo. O seu comentário será publicado online após aprovação da redacção.

Comentários Nome
Email
Código de VerificaçãoInsira os algarismos da figura
Anónimo
MEO Kanal 401262
© 2009 O Interior | Rua da Corredoura, 80 - R/C Direito C - 6300 Guarda | Telefone geral: 271 212 153 - Publicidade: 271 227 349 - fax: 271 223 222
Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.