Última Hora | RSS RSS | Arquivo | Ficha Técnica | Classificados | Inquéritos | Fórum | Futebol | Tempo | Farmácias | Publicidade | Newsletter | Pesquisa Avançada | Contactos | Área de Assinantes
Edição de 19-04-2018
Pesquisa:

Arquivo: Edição de 11-01-2018

Secção: Opinião

Agora Digo Eu
E a saga continua…
Tempo de leitura: 3 m
Bookmark and Share
Aumentar Tipo de LetraDiminuir Tipo de Letra

1 – Nestas eleições autárquicas ficou provado que o cheiro a poder, a promessa fácil e a predisposição para seguir os pretensos vencedores foi a escolha (quase) infalível para atingir os determinados fins de alguns dos agora eleitos.

Foram instalados os órgãos autárquicos e logo na primeira Assembleia Municipal, onde se discutiu o tal orçamento para 2018, houve quem desse o dito por não dito e, claro está, qual ética, qual carapuça. É o virar pró lado do poder, sem qualquer vergonha ou decoro, o assunto está automaticamente resolvido, pelo menos por estes quatro anos, parecendo mesmo que levavam estudada aquela lição ministrada, nessa bíblia para políticos medíocres, seguindo o exemplo daquele que foi o mais ordinário, oportunista e deplorável de todos eles: José Fouché.

Neste exemplo típico de personagens menores, de uma qualquer escola cínica, nessa espera calculada no tempo, parece terem ficado à espera da primeira oportunidade para serem comprados nesse escaparate onde a venda é feita pelo mais baixo preço, residindo aí o único mérito evidente, realçado de forma completamente hipócrita pelo mais alto detentor do poder. E se antes do ato eleitoral alguns assumiram o papel de travecas, os agora vendidos estarão quatro anos na mó de cima, ficando, todos nós a aguardar o salto (ideológico) nesse funcionamento obsceno de quem já se encontra à venda para o próximo leilão.

2 – Noutro tabuleiro joga-se a eleição do líder laranja, naquilo que será a pós austeridade coelhista. Os agora candidatos estão cheios de pecados mortais.

Um, metido até às orelhas nos meandros do poder, pede desculpa por tudo e por nada e por todos os golpes, ódios, mentiras, traições, contradições, insultos e, claro está, por todas as trapalhadas onde esteve metido.

O outro, depois de desafiado inúmeras vezes, sempre optou por não dar a cara, por se esconder atrás de todos os escondidos, surgindo neste momento (qual Fénix renascida) como salvador de uma pátria em perfeita decadência, parecendo mesmo o apanhador de todos os cacos.

O PSD não percebe que o mundo pula e avança e seja qual for o líder, o laranjal fica extremamente mal servido. A aposta em alguém que viesse das bases (sem pecados venais) seria importantíssimo e os laranjinhas (com espaço político extremamente reduzido por cá e na Europa) poderiam fazer outro e melhor tipo de aposta para o futuro, tendo em conta que do outro lado está um político hábil, esperto e inteligente. O PSD prepara-se assim para iniciar aquilo que vai ser uma enorme travessia do deserto.

3 – Sou daqueles qua acham que não há democracia sem partidos. Sou daqueles que acham que os partidos devem ser financiados, essencialmente, pelo erário público. Sou daqueles que acham que os partidos devem apresentar todas as contas. Sou daqueles que acham que os partidos devem transmitir princípios, valores, ideias, com toda a transparência e integridade. Sou daqueles que acham que os partidos são um pouco mais que o porto de abrigo para “boy’s” e “girl’s”. Sou daqueles que acham que os partidos devem apresentar as suas propostas legislativas, deixando de lado a manhosice chica-esperta do tal gato escondido, onde o rabo fica sempre de fora. Finalmente, sou daqueles que acham que os partidos não devem ser promotores da imagem popularíssima do atual habitante do palácio “pink”, o tal que só aplica argumentos próximos de um tal Monsieur de La Palisse.

A democracia tem regras e tem riscos, mas ainda assim é o melhor regime que se conhece. Neste cantinho à beira mar plantado é bom, é salutar e extremamente importante que os partidos políticos tenham tudo isto em conta.

Por: Albino Bárbara


Votar:
Resultado:
47 Votos
Imprimir Artigo
Enviar por Email
Comentário Privado
Comentário Publico
Adicionar Favoritos

Diga o que pensa sobre este artigo. O seu comentário será publicado online após aprovação da redacção.

Comentários Nome
Email
Código de VerificaçãoInsira os algarismos da figura
Anónimo
MEO Kanal 401262
© 2009 O Interior | Rua da Corredoura, 80 - R/C Direito C - 6300 Guarda | Telefone geral: 271 212 153 - Publicidade: 271 227 349 - fax: 271 223 222
Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.