Última Hora | RSS RSS | Arquivo | Ficha Técnica | Classificados | Inquéritos | Fórum | Futebol | Tempo | Farmácias | Publicidade | Newsletter | Pesquisa Avançada | Contactos | Área de Assinantes
Edição de 20-09-2018
Pesquisa:

Arquivo: Edição de 07-12-2017

Secção: Região

Incêndios
Voluntários vão reflorestar áreas íngremes de seis concelhos com recurso a avião
Tempo de leitura: 2 m
Bookmark and Share
Aumentar Tipo de LetraDiminuir Tipo de Letra

Voluntários ligados à aviação civil e à ecologia vão reflorestar áreas queimadas íngremes de Mangualde, Gouveia, Oliveira do Hospital, Nelas, Tondela e Seia com recurso a avionetas.

«O projeto nestes seis municípios será desenvolvido em duas fases com o intuito de os ajudar a recuperar zonas muito específicas afetadas pelos incêndios, como encostas a que não seria possível aceder sem ser por via aérea», explica Patrícia Lucas, presidente da Take C’Air Crew Volunteers. «A primeira fase consistirá no lançamento de sementes de gramíneas e leguminosas a partir de um avião, o que facilitará a fixação e nutrição dos solos, ajudando também a evitar derrocadas e a impedir a contaminação dos cursos de água ou a sedimentação dos seus leitos e barragens», acrescentou. Com essas primeiras sementes vai conseguir-se ainda acelerar o processo de repovoamento das áreas afetadas pelos incêndios, «já que os animais passarão a dispor de algum alimento».

O projeto conta com a participação do movimento cívico “Replantar Portugal” e com a parceria da Quercus e da Avitrata, que para os voos disponibiliza um Dromader M-18 B que poderá transportar 1.500 quilos de sementes por carga e sobrevoar os solos até sete metros dos obstáculos. As sementes a lançar foram doadas pela empresa Fertiprado e certificadas pelo ICNF, que também ajudará a monitorizar o resultado da intervenção. Aos seis municípios, que terão «custos mínimos» com o projeto, caberá definir quais os terrenos baldios a intervencionar, garantir a autorização para atuar nas propriedades privadas e determinar a concentração de gramíneas e leguminosas a distribuir por hectare. «Para esta primeira fase continuamos recetivos a mais donativos de sementes e só ainda não conseguimos patrocínio para o combustível», disse Patrícia Lucas. A segunda etapa consiste na recuperação da floresta autóctone das áreas queimadas de mais difícil acesso, recorrendo a espécies arbóreas e arbustivas características da região.


Votar:
Resultado:
45 Votos
Imprimir Artigo
Enviar por Email
Comentário Privado
Comentário Publico
Adicionar Favoritos

Diga o que pensa sobre este artigo. O seu comentário será publicado online após aprovação da redacção.

Comentários Nome
Email
Código de VerificaçãoInsira os algarismos da figura
Anónimo
MEO Kanal 401262
© 2009 O Interior | Rua da Corredoura, 80 - R/C Direito C - 6300 Guarda | Telefone geral: 271 212 153 - Publicidade: 271 227 349 - fax: 271 223 222
Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.