Última Hora | RSS RSS | Arquivo | Ficha Técnica | Classificados | Inquéritos | Fórum | Futebol | Tempo | Farmácias | Publicidade | Newsletter | Pesquisa Avançada | Contactos | Área de Assinantes
Edição de 07-12-2017
Pesquisa:

Arquivo: Edição de 10-08-2017

Secção: Região

Obras de 384 mil euros proporcionaram mais interatividade e tornaram equipamento mais atrativo
Museu Judaico de Belmonte reabriu ao público
Tempo de leitura: 2 m
Bookmark and Share
Aumentar Tipo de LetraDiminuir Tipo de Letra

Museu Judaico quer chegar aos 100 mil visitantes
Museu Judaico quer chegar aos 100 mil visitantes  Clique na imagem para a aumentar.
Totalmente renovado, reabriu no passado dia 2 o Museu Judaico de Belmonte. Centrado na história do criptojudaísmo da comunidade local, até então mantida em segredo, a intervenção proporcionou mais interatividade e tornou equipamento mais atrativo.

Paulo Monteiro, coordenador do projeto de renovação, explicou que este é um espaço que «conta a história dos judeus que não fugiram e conseguiram manter vivas as suas tradições», Mais moderno, com várias peças valiosas que fazem parte da história do judaísmo, durante a visita ao museu será possível assistir a um filme onde a comunidade local fala da sua experiência pessoal, costumes e rituais. A nova organização do museu segue «a tradição arquitetónica judaica. Nada é simétrico», especificou Paulo Monteiro, acrescentando que é a estrela de David que norteia o visitante. O processo de transformação do museu foi demorado e contou com a ajuda dos estudiosos Maria José Pimenta Ferro Tavares e David Canelo.

Após ver o resultado final, o investigador não escondeu a satisfação e entusiasmo, sublinhando que «a interactividade deste museu é única no mundo, não há nenhum museu judaico com tantos espaços interativos». Também o presidente da Câmara, agradado com o resultado final, considerou que se trata de «um lugar único no mundo». E António Dias Rocha traçou já dois objetivos: chegar aos 100 mil visitantes e mostrar aos judeus ainda a residir em Belmonte que «esta é verdadeiramente a sua terra». Partir rumo a Israel é um objetivo que passa pela cabeça de alguns judeus com raízes em Belmonte, mas à terra de Cabral também chegam judeus de outros locais, como o israelita, fluente em várias línguas, que o museu contratou recentemente.

A renovação do Museu Judaico implicou um investimento de 384 mil euros, tendo a autarquia assegurado um parcela de 144 mil euros e o restante foi financiado pelo Estado português e pelo programa EEA Grants. Até 14 de setembro, o museu está aberto entre as 9h30 e as 13 horas e das 14h30 às 18 horas. O horário de Inverno vigora de 15 de setembro a 14 de abril e será das 9 horas às 12h30 e das 14 horas às 17h30.


Votar:
Resultado:
50 Votos
Imprimir Artigo
Enviar por Email
Comentário Privado
Comentário Publico
Adicionar Favoritos

Diga o que pensa sobre este artigo. O seu comentário será publicado online após aprovação da redacção.

Comentários Nome
Email
Código de VerificaçãoInsira os algarismos da figura
Anónimo
MEO Kanal 401262
© 2009 O Interior | Rua da Corredoura, 80 - R/C Direito C - 6300 Guarda | Telefone geral: 271 212 153 - Publicidade: 271 227 349 - fax: 271 223 222
Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.