Última Hora | RSS RSS | Arquivo | Ficha Técnica | Classificados | Inquéritos | Fórum | Futebol | Tempo | Farmácias | Publicidade | Newsletter | Pesquisa Avançada | Contactos | Área de Assinantes
Edição de 20-09-2018
Pesquisa:

Arquivo: Edição de 28-07-2016

Secção: Em Foco

Reduções de 15 por cento entram em vigor na próxima segunda-feira, mas os valores ficam aquém das expetativas
A23 continua a autoestrada mais cara do país
Por: Ana Eugénia Inácio
Tempo de leitura: 3 m
Bookmark and Share
Aumentar Tipo de LetraDiminuir Tipo de Letra

As reduções nas ex-SCUT eram uma promessa da última campanha eleitoral
As reduções nas ex-SCUT eram uma promessa da última campanha eleitoral  Clique na imagem para a aumentar.
Nem os descontos de 15 por cento, a aplicar a partir de segunda-feira, fazem com que a A23 (Guarda-Torres Novas) perca o título da mais cara do país. Reduzir o valor das portagens nas ex-SCUT era uma promessa da última campanha eleitoral e António Costa cumpriu, mas não conforme as expetativas da região. As reduções foram anunciadas na passada semana, na Covilhã, pelo ministro do Planeamento e Obras Públicas. O problema é que o valor do desconto não satisfaz ninguém e feitas as contas pouca diferença faz.

Com os novos preços, um veículo de Classe 1 que percorra toda a A23, entre Torres Novas e a Guarda, passa a pagar 13,35 euros, enquanto antes pagava 14,3 euros. No caso de uma viagem entre a Guarda e a Covilhã fica a 2,75 euros. Já no caso da A25, entre Aveiro e Vilar Formoso, passa dos 13,55 euros, para os 11,5 euros. Uma deslocação entre Guarda e Viseu tem o custo de 4,45 euros a partir de 1 de agosto e 2,4 euros entre Guarda e Vilar Formoso. A medida «cumpre uma promessa eleitoral do Governo e que é importante para a economia destas regiões do interior que têm fatores de desenvolvimento mais difíceis pela sua distância aos principais centros urbanos», salientou Pedro Marques, considerando ainda que esta decisão vem permitir «uma melhor mobilização de e para o interior».

Embora o valor esperado na região fosse maior, para a tutela 15 por cento é já «um valor significativo, prudente e sustentável para contas públicas e para a empresa Infraestruturas de Portugal», acrescentou o governante. A convergência económica e a coesão territorial terão sido os critérios base para definir quais os troços em que seriam aplicadas as reduções. Por exemplo, entre Aveiro e Albergaria-a-Velha, o troço inicial da A25, não é aplicado qualquer desconto. A nova portaria define ainda que os descontos já existentes para os pesados de mercadorias passam de 10 para 15 por cento no período diurno e de 25 para 30 por cento durante a noite. Este último é alargado em mais uma hora de manhã e outra à noite, ou seja, passa a vigorar entre as 20 horas e as oito da manhã, atualmente é entre as 21 horas e as sete da manhã. Com estes descontos, os portugueses vão poupar em ligações completas entre 15 cêntimos a 3,4 euros por percurso.

Ao todo, são mais de 500 quilómetros de autoestrada que vão beneficiar da redução de preços. As estradas escolhidas foram a A4, que liga Amarante e Bragança, a A22 que vai de Lagos a Vila Real de Santo António, a A23 entre Torres Novas e Guarda, a A24, no norte do país, que vai de Viseu a Chaves e a A25 de Albergaria-a-Velha à fronteira de Vilar Formoso.

foto
 Clique na imagem para a aumentar.

foto
 Clique na imagem para a aumentar.


Votar:
Resultado:
88 Votos
Imprimir Artigo
Enviar por Email
Comentário Privado
Comentário Publico
Adicionar Favoritos

Diga o que pensa sobre este artigo. O seu comentário será publicado online após aprovação da redacção.

Comentários Nome
Email
Código de VerificaçãoInsira os algarismos da figura
Anónimo
MEO Kanal 401262
© 2009 O Interior | Rua da Corredoura, 80 - R/C Direito C - 6300 Guarda | Telefone geral: 271 212 153 - Publicidade: 271 227 349 - fax: 271 223 222
Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.