Última Hora | RSS RSS | Arquivo | Ficha Técnica | Classificados | Inquéritos | Fórum | Futebol | Tempo | Farmácias | Publicidade | Newsletter | Pesquisa Avançada | Contactos | Área de Assinantes
Edição de 16-11-2017
Pesquisa:

Arquivo: Edição de 23-01-2014

Secção: Sociedade

Guarda
Suspeitos de assalto a ourivesaria do Intermarché absolvidos
Tempo de leitura: 2 m
Bookmark and Share
Aumentar Tipo de LetraDiminuir Tipo de Letra

Roubo aconteceu em setembro de 2011 com recurso a veículo todo o terreno
Roubo aconteceu em setembro de 2011 com recurso a veículo todo o terreno
O grupo suspeito do assalto à ourivesaria do Intermarché da Guarda, em setembro de 2011, foi absolvido por falta de provas. No entanto, na última quinta-feira, o tribunal local condenou dois dos arguidos por furto qualificado numa loja de telemóveis da cidade.

Um foi sentenciado a quatro anos de prisão efetiva e o outro a três anos e seis meses de cadeia, com a pena suspensa pelo mesmo período. Um terceiro ficou ainda detido à ordem do Tribunal da Relação de Coimbra devido a um mandado de detenção europeu. Formado por cinco cidadãos estrangeiros, o grupo era suspeito de ter assaltado a ourivesaria L. Filipe, situada na galeria comercial do Intermarché, com a utilização de uma viatura todo o terreno. Segundo a acusação, teriam roubado diverso ouro e relógios, avaliados em mais de 29 mil euros. Era-lhes também imputado o roubo de 95 telemóveis, 34 computadores e “tablets” e diversos acessórios, avaliados em mais de 14 mil euros, na loja de telemóveis do hipermercado Pingo Doce, no Bairro de S. Domingos. Três deles estavam ainda acusados da autoria de dois crimes de furto qualificado e dois de um crime da mesma natureza. Os arguidos, com idades entre 23 e 39 anos, foram absolvidos do primeiro crime porque o coletivo de juízes considerou não ter sido produzida prova suficiente durante o julgamento para assegurar a «certeza» da sua prática. Na leitura da sentença, a que só assistiram três dos acusados, o juiz presidente afirmou que, apesar da gravidade dos factos, «não foi possível apurar quem foram os seus autores», considerando que «os indícios não foram suficientes para termos a certeza».


Votar:
Resultado:
110 Votos
Imprimir Artigo
Enviar por Email
Comentário Privado
Comentário Publico
Adicionar Favoritos

Diga o que pensa sobre este artigo. O seu comentário será publicado online após aprovação da redacção.

Comentários Nome
Email
Código de VerificaçãoInsira os algarismos da figura
Anónimo
MEO Kanal 401262
© 2009 O Interior | Rua da Corredoura, 80 - R/C Direito C - 6300 Guarda | Telefone geral: 271 212 153 - Publicidade: 271 227 349 - fax: 271 223 222
Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.