Última Hora | RSS RSS | Arquivo | Ficha Técnica | Classificados | Inquéritos | Fórum | Futebol | Tempo | Farmácias | Publicidade | Newsletter | Pesquisa Avançada | Contactos | Área de Assinantes
Edição de 17-08-2017
Pesquisa:

Arquivo: Edição de 24-01-2013

Secção: Sociedade

Médico da ULS da Guarda e Rui Soares da Costa, do Hospital de São João, já operaram cerca de mil pacientes com hérnias inguinais
Técnica inovadora de Augusto Lourenço atrai cirurgiões de todo o mundo
Por: Sara Quelhas
Tempo de leitura: 3 m
Bookmark and Share
Aumentar Tipo de LetraDiminuir Tipo de Letra

Augusto Lourenço começou a desenvolver a técnica em 2007
Augusto Lourenço começou a desenvolver a técnica em 2007
«Todo este projeto é uma grande satisfação», afirma Augusto Lourenço, médico e diretor do serviço de Cirurgia da Unidade Local de Saúde (ULS) da Guarda, que está em “voga” no mundo científico graças à técnica “Onstep”, aplicada no tratamento das hérnias inguinais.

O sucesso desta inovação é explicado pelo «baixo custo, produtibilidade e ausência posterior de dor crónica», adianta o cirurgião, que apresenta o tempo de operação como outra das vantagens, uma vez que é «cerca de metade das técnicas mais rápidas». A operação consiste na colocação de uma prótese na zona dos defeitos existentes – ou que podem vir a existir – e está estruturada em 12 passos, a fim de garantir uma boa reprodutibilidade: «Este projeto só tem valor se for reproduzível. É uma técnica de simples execução, não é necessária grande experiência ou especialização», refere Augusto Lourenço. «Já havia propostas nesse sentido, mas as operações ficavam muito caras porque eram utilizados mais materiais e precisava-se mais tempo. Depois também envolvia mais dor e nem todos estavam aptos para operar», sustenta. Para contornar estas dificuldades, o clínico começou por modificar a colocação da prótese, colocando-a na parte posterior do defeito, «para o tapar por dentro, de uma maneira simples e sem material de suporte», explica o cirurgião.

A prótese que utiliza é «mais adaptada» e tem um preço «em linha com o que se pratica no mercado», sendo que a respetiva patente já foi adquirida por uma multinacional norte-americana: «Tem um anel mais duro fundido (anel de memória) que permite não enrugar, desenvolve forças e provoca a expansão da prótese, entre outros efeitos, tendo como resultado menos dores pós-operatórias e menos dores crónicas», acrescenta. O médico da ULS da Guarda “arrancou” sozinho nesta ideia mas atualmente trabalha com Rui Soares da Costa, do Hospital de São João (Porto), que se «entusiasmou» com a inovação do guardense. Esta colaboração permitiu que o projeto «se desenvolvesse mais rápido», sendo que a dupla já operou mais de mil pacientes com «bons resultados», revela Augusto Lourenço.

O reconhecimento internacional tem levado os dois médicos a congressos de referência na especialidade, mas também tem suscitado a curiosidade de médicos estrangeiros, interessados em aprender e aplicar esta técnica: «Há figuras de renome internacional que já conhecem o processo e outras que se deslocam ao Porto para participarem nas nossas formações», indica. Para o médico, o mais importante é mesmo a resposta dos clínicos: «Enquanto cirurgiões, o nosso impacto e objetivo é sermos aceites pela comunidade científica», sustenta. O diretor da Cirurgia guardense não esquece «o interesse e disponibilidade» da direção da ULS no arranque do projeto, lembrando que se trata «de uma iniciativa privada, que tem uma parceria importante com a indústria, pois envolve muito dinheiro». No final deste mês, Augusto Lourenço e Rui Soares da Costa estarão em Berlim num congresso dedicado a hérnias, onde vão operar em “direto” para cerca de 400 cirurgiões de diferentes países.


Votar:
Resultado:
297 Votos
Imprimir Artigo
Enviar por Email
Comentário Privado
Comentário Publico
Adicionar Favoritos

Comentários dos nossos leitores
Francisco Carrolaxicocarrola@sapo.pt
Comentário:
Obrigado Doutor. Como se diz na minha terra " e que nunca lhe doam as mãos ".
 
Cândida Santoskandidasantos@portugalmail.com
Comentário:
Como guardense que sou, sinto-me orgulhosa por um conterrâneo estar neste patamar da inovação médica. Parabéns dr. Lourenço, batalha-se muito mas o mérito será sempre reconhecido.
 

Diga o que pensa sobre este artigo. O seu comentário será publicado online após aprovação da redacção.

Comentários Nome
Email
Código de VerificaçãoInsira os algarismos da figura
Anónimo
MEO Kanal 401262
© 2009 O Interior | Rua da Corredoura, 80 - R/C Direito C - 6300 Guarda | Telefone geral: 271 212 153 - Publicidade: 271 227 349 - fax: 271 223 222
Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.