Última Hora | RSS RSS | Arquivo | Ficha Técnica | Classificados | Inquéritos | Fórum | Futebol | Tempo | Farmácias | Publicidade | Newsletter | Pesquisa Avançada | Contactos | Área de Assinantes
Edição de 20-07-2017
Pesquisa:

Arquivo: Edição de 26-11-2009

Secção: Sociedade

Primeiro livro da colecção “Oh mãe...” foi apresentado no último sábado na Guarda
A história de uma “estrelinha no céu” transposta para livro
Por: Ricardo Cordeiro
Tempo de leitura: 3 m
Bookmark and Share
Aumentar Tipo de LetraDiminuir Tipo de Letra

Durante a leitura da história, as muitas crianças presentes foram ouvintes bastante atentos
Durante a leitura da história, as muitas crianças presentes foram ouvintes bastante atentos
«As ilustrações estão muito apelativas e espectaculares, assim como a própria escrita do livro». Com as certezas próprias dos seus 12 anos, Inês Gomes não tem dúvidas em aconselhar a colecção de publicações “Oh mãe...” a outras crianças. O primeiro livro escrito por Carla Freire e ilustrado por Cláudia Quelhas, intitulado “Oh mãe... Conta lá a história de quando eu era uma estrelinha no céu”, foi apresentado no passado sábado na Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço, na Guarda.

Perante uma plateia bem recheada, onde se encontravam vários petizes, Carla Freire recordou que a ideia de editar um conjunto de histórias dedicadas ao público infantil, surgiu de um conjunto de histórias que criou com base na sua filha Joana, de 6 anos. De resto, frisou que este é um projecto «que foi feito com muito carinho e de uma forma muito despretensiosa», até porque «no início pretendia ser apenas uma história para as minhas filhas». As autoras realçam que o objectivo que esteve na origem da colecção, que segundo a advogada a vai ligar à sua amiga e cunhada «para a vida toda», foi o de fazer com que «as crianças gostassem do que estivessem a ler». E parece que os visados apreciam mesmo a forma como os livros e as histórias foram concebidas. A escritora recordou ao público a primeira vez que deu as suas histórias a ler, no caso à sua sobrinha “emprestada” Ana Teresa e a avaliação não podia ter sido mais positiva: «Está tão lindo. Foste mesmo tu que escreveste?», relatou Carla Freire que tomou aquelas palavras como um «elogio». Também a Inês, que procedeu à leitura da publicação, assegurou que a história «está muito bem adequada para as crianças e a forma como explica o nascimento das mesmas». Considerou ainda que esta é «uma maneira muito boa e imaginativa de explicar às crianças como nasceram», reforçando que o livro «pode ser pequeno mas tem lá tudo o que é essencial».

Já a arquitecta Cláudia Quelhas acedeu ao repto para ilustrar a obra, explicando que começou a fazer as ilustrações numas férias, assegurando que foi uma «história muito engraçada», uma vez que se trata de uma área que tem um «aspecto criativo», assemelhando-se «um pouco com a arquitectura». Outra curiosidade que contou foi a de ter «“criado”» a Joana quando ela, na realidade, já tinha cinco anos, daí considerar que foi «um processo ao contrário». Também presente, em representação da editora Artez, esteve Diogo Cabrita que elogiou o trabalho das duas «autoras de uma ideia que pode ser muito interessante e que começa hoje. Não é uma festa que começa hoje. Prolonga-se numa próxima edição, num conjunto de ideias que surgem a partir do mesmo componente». A colecção prevê a publicação de seis livros e já se sabe que o segundo vai ter como título “Oh mãe... O Afonso giringonço chamou-me Joana banana».


Votar:
Resultado:
103 Votos
Imprimir Artigo
Enviar por Email
Comentário Privado
Comentário Publico
Adicionar Favoritos

Diga o que pensa sobre este artigo. O seu comentário será publicado online após aprovação da redacção.

Comentários Nome
Email
Código de VerificaçãoInsira os algarismos da figura
Anónimo
MEO Kanal 401262
© 2009 O Interior | Rua da Corredoura, 80 - R/C Direito C - 6300 Guarda | Telefone geral: 271 212 153 - Publicidade: 271 227 349 - fax: 271 223 222
Produzido por ardina.com, um produto da Dom Digital. Comentários sobre o site: webmaster@domdigital.pt.